CÂMARA MUNICIPAL ADIA VOTAÇÃO DO PROJETO QUE LIBERA ADVOGADOS DO RODÍZIO DE CARROS


02/12/2008

Nesta terça-feira (2/12), a Câmara dos Vereadores de São Paulo decidiu adiar a votação do projeto do vereador Edivaldo Estima, que dispõe sobre a exclusão dos advogados residentes na capital do rodízio municipal de veículos. Amanhã (3/12) o colégio de líderes vai avaliar quais os projetos que entrarão na pauta das próximas sessões: quinta-feira(4/12) ou terça-feira (9/12).

 O deputado Paulo Frange, autor do projeto que liberou os médicos do rodízio e que é favorável ao projeto de Estima, considera que será difícil obter a sanção do prefeito, porque ele pedirá um parecer do órgão técnico – a CET, contrária à ampliação de atividades profissisonais liberadas do rodízio. “ Mesmo os médicos só conseguiram o benefício depois de 3 anos de luta entre a aprovação no Legislativo e sanção do Executivo”, lembra Frange.

 O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, espera que o projeto venha a ser apreciado pelo plenário da Câmara Municipal dentro de  uma semana. “ Assim como apenas 20% dos médicos utilizam o benefício da liberação do rodízio, acredito que apenas uma parcela dos advogados utilizará seus carros, exclusivamente para atender casos de emergência ou urgência, sem maiores impactos sobre o trânsito”, comenta D´Urso.

 Para D´Urso, o projeto não é um privilégio para a categoria, mas  visa equiparar os advogados aos médicos e jornalistas, que precisam se deslocar em momentos de emergência visando o interesse público.  " O pleito do projeto nasceu na advocacia e, nesta primeira fase, contemplou somente os advogados da capital, objetivando, em caso de aprovação, estender esse benefício aos colegas do Interior que ocorrem à capital", pondera D´Urso.