Direitos Humanos apura denúncia em Dois Córregos


08/02/2002

Direitos Humanos acompanha denúncia em Dois Córregos

A Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP oficiou ao delegado corregedor da Polícia Civil do Estado de São Paulo, Roberto Maurício Genofre, e ao ouvidor da Polícia do Estado de São Paulo, Fermino Fecchio Filho, denúncia que recebeu da Subsecção de Dois Córregos, interior de São Paulo, sobre a morte suspeita de Ivanildo Nunes Pereira. A acusação foi feita pelo advogado Antonio Mashorca Filho, baseada em matérias veiculadas nos jornais e rádios da cidade.
Pereira foi acusado de participar de um assalto no Auto Posto BR da cidade e, na fuga, baleou o delegado Edmilson Bataier. Na versão da polícia, ao ser preso no município vizinho, Mineiros do Tietê, Pereira teria caído de um caminhão usado durante a fuga, teve vários ferimentos, e ao ser apresentado na delegacia, veio à falecer.
Já os jornais e a população acreditam que Pereira foi vítima de inúmeros chutes dos policiais, Antonio Emílio Sperança, José Eduardo Trevisan, Claudemir Salvadeo, e do carcereiro de plantão, que não teve seu nome divulgado, que resultaram em uma hemorragia interna até a sua morte. Existem ainda comentários de que os policiais teriam deixado o preso agonizando por horas, gemendo de dor, antes de encaminhá-lo para a assistência médica. “Os gritos foram testemunhados por pessoas que estavam na delegacia, já que naquele dia o movimento foi muito grande justamente por causa do flagrante”, afirma o advogado Antonio Mashorca Filho.
Mashorca Filho pediu apoio à Subsecção da OAB da cidade e à Seccional Paulista para apurar os fatos. Solicitou, inclusive, à presidente de Dois Córregos, Mara Cardoso, que designou o vice-presidente, José Aparecido Voltolim para acompanhar o caso, pois tem grau de parentesco com um dos acusados, o que a impede de estar nas investigações. “Atendendo ao pedido de Voltolim nós já oficiamos às autoridades cabíveis e aguardamos a instauração de um inquérito para averiguar o caso”, diz João José Sady, coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP.

Mais informações para a Imprensa pelos telefones (11) 3105-0465 ou 3241-5122, ramal 224.