Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2003 / 05 / 16 / OAB SP ELOGIA DECISÃO DO STJ CONTRA REDUÇÃO DA DURAÇÃO DOS CURSOS DE DIREITO

Notícias

OAB SP ELOGIA DECISÃO DO STJ CONTRA REDUÇÃO DA DURAÇÃO DOS CURSOS DE DIREITO

Tweet


16/05/2003

OAB SP ELOGIA DECISÃO DO STJ CONTRA REDUÇÃO DA DURAÇÃO DOS CURSOS DE DIREITO

O presidente da OAB SP, Carlos Miguel Aidar comemorou como fato altamente positivo a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que - julgando o mérito do mandado de segurança impetrado pelo Conselho Federal da OAB contra ato do Ministério da Educação - considerou inválida a resolução que diminuía de cinco para três anos a duração dos cursos de Direito. No ano passado, a Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação , sem consultar a Ordem, elaborou o Parecer 142/02 que, entre outras medidas, autorizava essa redução.

Para o presidente da OAB-SP, ao julgar inválido o ato do então ministro da Educação, Paulo Renato, o STJ demonstrou bom senso e conhecimento sobre a realidade do ensino jurídico. “Com o parecer, o Ministério estava estabelecendo uma regra específica, que feria a legislação do ensino. A redução seria apenas uma solução para a inadimplência das anuidades do cursos, ou seja, uma resposta para um problema econômico, sem levar em conta o fundamental – a qualidade do ensino jurídico”, pondera .
A OAB-SP já havia feito alertas com relação aos prejuízos que a redução na duração do curso de Direito poderia ocasionar. “A Ordem não tem poder de veto com relação à abertura de novos cursos ou à elaboração do conteúdo disciplinar, mas é a guardiã da qualidade do ensino jurídico no País e tem conseguido provar que com o crescimento do número de vagas nos cursos de Direito, tem diminuído a qualidade do ensino”, pondera Aidar.
Uma liminar, concedida pelo ministro Franciulli Netto, do STJ, em setembro do ano passado, já considerava a plausividade do direito invocado pela OAB. “Com o julgamento do mérito, agora, a questão fica praticamente encerrada. E com ela, pelo menos assegurado que cada aluno de Direito terá pelo menos cinco anos para receber os ensinamentos jurídicos mínimos, preparando-se para a profissão. A queda na qualidade pode ser mensurada nos Exames de Ordem, que vem aprovando menos de 20% dos inscritos em São Paulo”, destaca Aidar.
Mais informações na Assessoria de Imprensa da OAB SP, pelos telefones 3291-8175/82.