OAB SP CONSIDERA GRAVE SITUAÇÃO NA FEBEM


05/06/2003

OAB SP CONSIDERA GRAVE SITUAÇÃO NA FEBEM

A Comissão de Direitos Humanos da OAB SP e outras entidades de direitos humanos, que visitaram quatro alas e triagem da Unidade 30 da Febem de Franco da Rocha , hoje (4/6), consideraram grave a situação encontrada, detectando que 35% dos internos sofrem maus tratos e tortura. Em visita realizada nesta quarta-feira, eles ouviram relatos de espancamentos, afogamentos e presenciaram adolescentes com hematomas e escoriações.
<br><br>
A visita, que teve início às 10h e terminou às 16h, começou com uma reunião na Diretoria do Complexo. Em seguida, os advogados ouviram os 14 jovens que &#8220;estão no seguro&#8221;. Com exceção de dois, todos são maiores.
Os internos denunciaram uso do &#8220;corredor polonês&#8221; pelo qual são obrigados a passar sempre que vão e voltam dos presídios, muitas vezes andando sobre cacos de vidro. Disseram que estão abandonados e que a comida atrasa. Que passaram os últimos 30 dias de cuecas e só ontem receberam roupas. Disseram, ainda, que correm risco de vida e fizeram um apelo para que sejam transferidos daquela unidade.
<br><br>
&#8220;A situação impressionou até mesmo a Anistia Internacional, que tem vivência na questão&#8221;, assinalou o advogado Ariel de Castro Alves, representante da OAB SP. Ele afirmou que durante a visita, conselheiros tutelares denunciaram que internos foram espancados na Unidade 31 de Franco da Rocha. Os advogados estão elaborando uma lista com os nomes dos adolescentes vítimas de violência, que será encaminhada ao Ministério Público para que sejam ouvidos.
<br><br>
Mais informações, na Assessoria de Imprensa da OAB SP, pelos telefones 3291-8175/82.