Presidente comenta envolvimento do PCC na morte de juiz-corregedor


11/08/2003

Presidente comenta envolvimento do PCC na morte de juiz-corregedor

O presidente da OAB SP, Carlos Miguel Aidar, afirmou hoje (8/8) que a identificação da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) como responsável pelo assassinato do juiz-corregedor de Presidente Prudente, Antonio José Machado Dias, ocorrido no mês de março, confirma as suspeitas iniciais, de uma ação do crime organizado com o claro propósito de intimidar a Justiça.

“ A solução desse crime bárbaro por parte do Poder Público, com comprovação de autoria, é a resposta mais eficaz que o Estado poderia oferecer contra a expansão e ousadia do crime organizado. A solução desse assassinato e prisão de seu(s) autore(s) e mandante(s), por certo, inibirá futuros crimes de forma mais duradoura do que qualquer endurecimento da legislação penal”, afirma o presidente Carlos Miguel Aidar.

No entender do presidente da OAB SP, a solução do crime também beneficiará a proteção dos juizes de execução criminal, a cada dia estão mais visados pelas organizações criminosas. “ Por ser um poder desarmado, o Judiciário precisa ter sua autoridade respeitada e, no caso de um confronto, ter a garantia que os criminosos não ficarão impunes”, diz Aidar.

Mais informações, na Assessoria de Imprensa da OAB SP, pelos telefones 3291-8175/82.