CDH denuncia ataque a testemunhas


16/09/2003

CDH quer apuração de grupos de extermínio em Guarulhos

A Comissão de Direitos Humanos (CDH) da OAB SP encaminhou ofício ao corregedor da Polícia Militar de São Paulo denunciando o ataque sofrido por dois irmãos gêmeos, testemunhas num caso de apuração de existência de grupos de extermínio em Guarulhos. Claudinei e Cláudio dos Anjos da Silva foram atacados, à luz do dia, por dois homens encapuzados, que dispararam vários tiros. Claudinei morreu e Cláudio corre risco de vida.
No documento, o coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB SP, João José Sady, informa que os dois irmãos compareceram ao 15º Batalhão da Polícia Militar no último dia 4 de setembro, atendendo a convocação da Corregedoria da Polícia Militar, que apura denúncia sobre a atuação de grupos de extermínio em Guarulhos. Contudo, continua Sady, a presença dos dois rapazes e o motivo de sua ida ao batalhão “não foram sequer objeto de reserva, razão pela qual se sentiram intimidados e não depuseram. Caso se confirme, tal informação me parece muito grave, eis que iam depor contra policiais militares ali lotados”.
João José Sady solicita providências ao corregedor no sentido de serem apurados os fatos e protegidas as vidas remanescentes. “Enfatizo que, dadas as circunstâncias, tal evento reforça a suspeita quanto à ação de policiais homicidas naquela localidade e coloca sob dúvida o cuidado das autoridades que estão a cuidar das investigações”, acrescenta Sady.
A Comissão de Direitos Humanos da OAB SP enviou ofício à Corregedoria da Polícia Militar por solicitação do presidente da CDH da subsecção da Ordem em Guarulhos, Fábio de Souza Santos, preocupado com a gravidade dos fatos. Cópia do documento ao corregedor foi encaminhada à Comissão Especial de Apuração das informações sobre grupos de extermínio em Guarulhos e Ribeirão Preto, instituída pela Resolução 19 da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, e ao representante do Ministério Público Federal na Comissão.