Simpósio Internacional sobre DNA


09/10/2003

Simpósio Internacional sobre DNA

O Laboratório de Diagnósticos por DNA da Universidade Estadual do Rio de Janeiro e Applied Biosystems do Brasil realizam, nos dias 27 e 28 de novembro, o II Simpósio Internacional sobre DNA em Identificação Humana. O encontro vai discutir temas como o financiamento público dos testes de paternidade para famílias carentes, apresentar experiências desenvolvidas em países ibero-americanos e discutir o estado da arte da utilização do DNA em investigação criminal.
Os trabalhos começam no dia 27, às 9h, com a palestra “Programa DNA: Convênios UERJ/Tribunal de Justiça/Ministério Público e Defensoria Pública”, por Elizeu F. de Carvalho, da UERJ. A seguir, Rinaldo Wellerson Pereira, da Applied Biosystems do Brasil, falará sobre “A evolução tecnológica na utilização do DNA para identificação humana”. “O DNA e o mistério de Cristóvão Colombo” será o tema de José A. Lorente Acosta, do Laboratório de Identificação Genética da Universidade de Granada, Espanha.
Francisco Corte-Real discorrerá sobre “A estrutura do Instituto Nacional de Medicina Legal de Portugal e Perícias por DNA”, seguido por Juan Rios, que falará sobre “O programa de DNA do Laboratório de Criminalística da Policia de Investigaciones do Chile”. “Banco de dados de DNA da Argentina – identificação de desaparecidos durante o regime militar” será apresentada por Ana Maria Di Leonardo. A seguir, Carmen Cenira apresentará a palestra “Centro de Medicina Legal, IML e USP Ribeirão Preto”.
No período da tarde serão realizadas duas mesas-redondas: “Investigação de paternidade ligada às instituições públicas” e “A prova por DNA no Direito de Família e Criminal”.
No dia 28, às 9h, haverá a apresentação da palestra “Utilização de marcadores do cromossomo Y em investigação forense”, por Leonor Gusmão, da Universidade do Porto, Portugal. Em seguida, será realizada a mesa-redonda “DNA e investigação criminal no Brasil”. Às 14h, a palestra “Legislative update on DNA databases” será apresentada por Tim Schelberg, dos Estados Unidos. O tema seguinte será “Bioterrorismo e banco de dados genéticos”, apresentado por Ranajit Chakraborty. Sinthia Pagano, do Departamento de Biologia Forense da polícia uruguaia, falará sobre “A implantação do sistema Codis no Uruguai”. Dayse Aparecida da Silva, do Laboratório de Diagnósticos por DNA da UERJ, falará sobre “Tipagem por DNA em crimes sexuais”.
“O sequenciamento do DNA mitocondrial em identificação humana” será o tema de Andréa Góes, do Laboratório de Diagnósticos por DNA da UERJ, seguida por Juan Carlos Alvarez, do Laboratório de Identificação Genética da Universidade de Granada, Espanha, que falará sobre “A genotipagem de SNPs mitocondriais em identificação humana”. O simpósio será encerrado com a mesa-redonda “Segurança pública: política nacional para utilização do DNA”.
O simpósio será realizado na Escola de Magistratura do Rio de Janeiro. As inscrições (R$ 120,00, profissionais; R$ 60,00, estudantes) podem ser feitas no endereço eletrônico www2.uerj.br/~labdna/simposio.htm.