Approbato prestigia posse no Guarujá


02/03/2004

Posse no Guarujá tem presença de Approbato

Luíz Flávio Borges D´Urso , presidente da OAB-SP, e Rubens Approbato
Machado, membro vitalício do Conselho Federal e conselheiro nato da Seccional Paulista, foram os convidados especiais para a posse de José Rodrigues Tucunduva Neto, o novo dirigente da Subsecção do Guarujá, que aconteceu sexta-feira passada (27/2).

D´urso abriu a cerimônia lembrando que “ Rubens Approbato transformou
a história da OAB através de suas gestões frente a entidade, e que ele
teve o grande privilégio de ter recebido o apóio de Approbato no ano
passado, quando se candidatou a presidência da Seccional. “Não é pouco”,
disse ele”, “é praticamente inenarrável o orgulho que senti por ter tido o
respaldo deste que é uma das maiores autoridades da advocacia do País”.

Com a palavra, Approbato disse que a Ordem quer e precisa da participação
de todos os advogados, para que o Brasil sinta a presença e a proteção do
advogado em todas as situações e instâncias. Fez questão de lembrar a
importância primeira e a finalidade institucional da Ordem, ou seja, que
“através da OAB consolida-se a democracia no Brasil, foi criada com esse
fim” E continua: “Nenhuma lei pode se tornar realidade sem a presença do
advogado, assim, tem-se uma cidadania plena, uma cidadania forte, e,
conseqüentemente, uma democracia forte“.

Approbato continuou sua fala, citando Voltaire, quando o filósofo declarou que, a profissão mais bela do mundo é a profissão do advogado .Approbato concluiu
dizendo que,” sem o advogado não há justiça, sem justiça não há liberdade,
e, sem liberdade não há democracia. Era a democracia a que o filósofo
francês estava se referindo quando elogiou o exercício da advocacia”.

D´Urso encerrou a cerimônia reforçando as palavras do “mestre”, como ele
mesmo se refere a Approbato, aliás, palavras que traduzem um
dos projetos de campanha da Seccional, que é o de exigir a presença dos
advogados em todos os processos, sejam eles civis, criminais ou
trabalhistas. De acordo com o presidente da OAB-SP, o Estado deve ser
obrigado a fornecer um advogado para aquele cidadão que não pode pagar e/ou
contratar um desses profissionais . E conclui, reiterando a fala de
Approbato: “ Enquanto existir um cidadão que não tiver ao seu lado um
advogado para defender o seu direito, não podemos dizer que há democracia no
País”.

Mais informações, na Assessoria de Imprensa da OAB SP, pelos telefones 3291-8175/82.