SERVIDORES DO JUDICIÁRIO DECIDEM MANTER GREVE


25/08/2004

SERVIDORES DO JUDICIÁRIO DECIDEM MANTER GREVE

Em assembléia estadual, realizada nesta quarta-feira (25/8), os serventuários da Justiça decidiram manter o movimento grevista por tempo indeterminado. Também ficou decidido que será pedido, através da Assembléia Legislativa, a instalação de uma CPI para investigar o Poder Judiciário paulista. A próxima assembléia dos serventuários acontece no dia 8 de setembro.

"A OAB SP não foi notificada oficialmente sobre a suspensão da antecipação da tutela obtida em ação civil pública, movida pela Ordem contra as entidades de servidores do Judiciário Paulista, que patrocinam a greve, garantindo a manutenção de um efetivo de 60% dos funcionários na ativa. Assim que tomarmos conhecimento do teor da decisão, iremos adotar o ingresso de recurso cabível", afirma a vice-presidente da OAB SP, Marcia Regina Machado Melaré.

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, reafirma que "o pleito salarial dos serventuários é justo, mas a greve inviabiliza a Advocacia, parada há quase dois meses, e o jurisdicionado, que vê seus direitos adiados". Na última segunda-feira (23/8), em audiência com o governador do Estado, Geraldo Alckmin, o presidente da OAB-SP apresentou um balanço de todos o prejuízos que a paralisação dos servidores do Judiciário está causando.O presidente da OAB-SP também está agendando audiência com o presidente do TJ, Luis Elias Tâmbara, na tentativa de romper o impasse com os grevistas, que alegam estar há mais de dois anos sem reposição salarial e cobram a reposição com base no IGPM de abril/20002 a março/2004.