ADVOGADO SOFRE TENTATIVA DE HOMICÍDIO POR PARTE DE GUARDAS MUNICIPAIS


01/12/2004

ADVOGADO SOFRE TENTATIVA DE HOMICÍDIO POR PARTE DE GUARDAS MUNICIPAIS

Depois de participar de um jantar de confraternização para um magistrado em Alphaville, em Barueri,na madrugada de 30 novembro, o advogado Alexandre Rohlf de Morais, 35 anos, perdeu-se ao voltar para São Paulo, fazendo uma conversão por dentro da cidade de Osasco. Por não conhecer o caminho, entrou numa rua sem saída e parou próximo a um posto de gasolina e ao motel Imperium e sentiu uma série de disparos.

Vários policiais da Guarda Civil Municipal de Osasco, que estariam fazendo a segurança dos dois estabelecimentos. Alexandre ainda tentou se identificar, como advogado, membro do Conselho de Segurança, mas sofreu um verdadeiro cerco e recebeu um tiro de raspão no rosto e um nas costas. Depois de algemado, apanhou e foi insultado verbalmente. Ao longo das agressões, ele teve medo de ser executado pelos guardas.

O advogado só foi salvo porque tinha ligado ao juiz, pedindo por socorro, quando ainda estava no carro.O juiz acionou a Polícia Militar, que chegou no local, identificou o engano e determinou que as algemas fossem removidas. Foi registrado um Boletim de Ocorrência no 5. DP de Osasco , mas os agressores não foram identificados. A OAB SP, através da Comissão de Direitos e Prerrogativas, está entrando com representação para instaurar inquérito policial por tentativa de homicídio, abuso de autoridade e formação de quadrilha. “ A Ordem está pedindo a detenção dos guardas, como forma de garantir a integridade física do advogado. A PM está fazendo a segurança do advogado”, diz Mário de Oliveira Filho, presidente da Comissão. A Ordem também tem encontro agendado com o secretário adjunto da Segurança Pública, Marcelo Martins de Oliveira, para discutir a agressão. “ É inadmissível que um agente do Poder Público, a quem compete aplicar a lei , garantir os direitos básicos do cidadão, principalmente à vida – transformem o espaço público em terra de barbárie. Espero que esse crime seja exemplarmente punido para que não se repita mais contra qualquer cidadão desse Estado ou desse País”, diz o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso.

Mais informações na Assessoria de Imprensa da OAB SP, pelos telefones 3291-8175/82.