Artigo: Deixem os advogados em paz


16/12/2004

Artigo : Deixem os advogados em paz

DEIXEM OS ADVOGADOS EM PAZ !





Os advogados estão pagando por crimes que não cometeram. Melhor dizendo: estão sendo equiparados aos criminosos, porque a estes defendem.



Por mais de uma vez, vi e ouvi repórteres de noticiários policiais, fazerem indagações semelhantes a estas: como pode o advogado defender um estuprador ? E se a vítima fosse a filha dele ?



Então, como profissional da área, sentindo-me desconfortável com esse tipo de colocação, também indago: como pode o médico atender, no pronto socorro, um estuprador ferido ? Por que salvar a sua vida se, amanhã ou depois, solto, ele poderá estuprar a filha dele, médico, se já não for a própria ?



Como pode o dentista atender, no seu consultório, ou num pronto socorro, um estuprador acometido de violenta dor de dente ? E se, amanhã ou depois, solto, ele estuprar a sua filha, nela deixando, ainda, sinais de mordidas ? Assim, caberiam outras indagações aos profissionais das demais áreas.



O advogado defende o estuprador porque também faz um juramento, tão importante e solene como os que são feitos por médicos e dentistas. Aliás, não nos esqueçamos que médicos e dentistas, quando acusados e processados por erros profissionais, são defendidos pelo advogado. Então, "mutatis mutandi", por que defender um médico que colocou em risco a vida do paciente ? E se amanhã, ou depois, ele fizer o mesmo com um parente do advogado ?



O mais interessante de tudo isso, está no fato de que, a maioria daqueles que, com razão, reprovam veementemente o estuprador, mas, sem razão, o seu advogado, se posicionam contra a pena de morte. O mais lógico seria defender o estuprador, tratar da sua saúde e dos seus dentes, para, depois, condená-lo à pena capital. Destarte, ele não mais seria solto, ou não mais fugiria das cadeias, para estuprar a filha de quem quer que seja.



A vida é um circulo vicioso. Precisamos todos uns dos outros, até mesmo do delinqüente. Porém, se alguém está acima de alguém, que me perdoem os profissionais das demais áreas, esse alguém é o advogado. Enquanto médicos, dentistas e engenheiros cuidam do material, o advogado cuida do imaterial.



O advogado cuida do bem maior que uma pessoa pode ter, que é o direito à liberdade. Direito à liberdade pessoal. Direito à liberdade de ir e vir. Direito à liberdade de se defender. Direito à liberdade de manifestar o seu pensamento e de expressar a sua opinião. Direito à liberdade de ser, ou de não ser. Direito à liberdade de escolher o médico e o dentista de sua confiança.



Aquele casal de professores que, há alguns anos, foi injustamente acusado de prática de pedofilia e que, nos primeiros momentos, causou grande revolta na sociedade, quase sendo linchado, teve sua escola fechada e perdeu seu patrimônio, só resgatou a sua liberdade e a sua dignidade, graças ao trabalho insano dos seus advogados.



Portanto, deixem os advogados em paz ! Palavra de pai de um excelente médico, formado em 1996 pela USP, que, por mais de uma vez, já necessitou dos préstimos de um causídico, por motivos profissionais, embora, felizmente, não relacionados com a prática da medicina, propriamente dita.



Romeu Prisco


--------------------------------------------------------------------------------

Para quem, eventualmente, disser "claro que eu deixo em paz os advogados, quero mais é que eles se danem", eu respondo que jamais direi "quero mais que os médicos, os dentistas e os engenheiros se danem", porque, além de admirar e respeitar aqueles que, bem ou mal, passaram pelos bancos acadêmicos, nunca se pode afirmar que, "desta água, não beberei". (Romeu Prisco)