MOVIMENTO MULHERES DE VERDADE APÓIA CAMPANHAS DA OAB SP


10/06/2005

A OAB SP recebeu nesta sexta-feira ( 10/6), apoio do Movimento Mulheres da Verdade, presidida pela conselheira e diretora adjunta da Comissão da Mulher, Advogada Talullah Carvalho, às campanhas da OAB SP contra a violência doméstica à mulher e contra a corrupção.“Não podemos admitir o preconceito, a intolerância e a violência contra a mulher apenas porque ela é mulher. Muitas mulheres não têm consciência da igualdade entre nós e ainda se submetem à violência. Nós precisamos ouvir essas mulheres que não têm voz. Temos mecanismos jurídicos insuficientes e precisamos mudar as regras de convivência entre os seres humanos. Fico também extremamente satisfeito com o apoio à nossa vigília cívica contra a corrupção iniciada ontem (9/6). Precisamos exigir a apuração séria dessas denúncias porque trazem riscos às instituições brasileiras e à democracia”, explicou o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso.

A cerimônia contou com a participação ainda da deputada estadual Rosmary Corrêa, coordenadora parlamentar do Movimento Mulheres da Verdade na Assembléia Legislativa; Paulo Natanael, presidente do CIEE, Ivone Capuano, vice-presidente do CIEE e presidente do conselho do Movimento Mulheres da Verdade; Wilma Mota, presidente do Instituto Sérgio Mota, Márcia Saldado, coordenadora das Delegacias de Defesa da Mulher; Helena Maria Diniz, presidente da subsecção da Lapa; e Silvia Regina Catto Mocellin, presidente da subsecção de Tatuí.

Em seu discurso de apoio às campanhas, a deputada Rose destacou o papel das delegadas no trabalho contra a violência, mas pediu a imediata mudança da lei 9099 e lembrou da falta de estrutura que restringe os trabalhos nas Delegacias da Mulher.
“Ninguém conhece mais esse terrível problema de violência doméstica do que as delegadas. Por falta de estrutura e apoio, muitas vezes elas não têm como responder a essa violência. Ficamos estarrecidas quando homens condenados por violência contra a mulher pagamsua pena com cestas básicas. Precisamos mudar a lei 9099 e também proporcionar às delegacias estrutura, além de apoio da Secretaria de Segurança Pública, ao trabalho feito ali”, afirmou a deputada.

O presidente e a vice-presidente do CIEE, Paulo Natanael e Ivone Capuano, respectivamente, acreditam que essa é a hora das mulheres se unirem. “Está na hora da mulher agir. Nossas antecessoras prepararam o terreno e agora nós devemos ajudar esse país com união e força”, disse Ivone.“Está na hora de darem oportunidade para as mulheres porque o século 21 é nitidamente o século das mulheres”, falou Natanael.“Estamos aderindo às campanhas para lutar contra a corrupção, contra a impunidade e contra a violência. No caso da violência contra às mulheres, pretendemos assessorar e atender às mulheres vítimas da violência em conjunto com as DDMs e em agosto, quando as delegacias da mulher completam 20 anos, queremos pedir a mudança da lei porque cestas básicas não pagam os crimes cometidos contra a mulher”, finalizou Talullah.

Mais informações, na Assessoria de Imprensa da OAB SP, pelos telefones 3291-8175/82