SUBSECÇÕES CONSIDERAM EQUIVOCADA ATITUDE DO TJ


04/11/2005

SUBSECÇÕES CONSIDERAM EQUIVOCADA ATITUDE DO TJ

SUBSECÇÕES CONSIDERAM EQUIVOCADA ATITUDE DO TJ

O presidente da Subsecção de Ribeirão Preto, Jorge Marcos Souza, afirma em mensagem enviada à D´Urso que “a advocacia não é respeitada, via de regra, pelas autoridades. No entanto, a sociedade a reverencia exatamente pela sua capacidade de luta e resistência, tão bem representada por Vossa Excelência. À Luta, Comandante, que estamos do seu lado, nós e a Constituição Federal.”



A Diretoria da Subsecção de Franca classificou de equivocada a atitude do Tribunal de Justiça de São Paulo em relação a lista sêxtupla enviada pela OAB para vaga de desembargador pelo Quinto Constitucional.

A diretoria apoia “as ações desempenhadas pela OAB SP em face a, no mínimo, equivocada atitude do Tribunal de Justiça de São Paulo em relação ao Quinto Constitucional. A posição demonstrada por aquele tribunal reflete negativamente na classe dos advogados, que sempre buscou estar irmanada com a instituição que deveria, em tese, resguardar os preceitos contidos na Carta Magna, ao invés de ignorá-los e submetê-los a interpretações que prejudicam o sistema judiciário e, consequentemente, a democracia.”

E segue afirmando “a classe dos advogados de Franca está alerta e consciente de seu papel, não aceitando, em hipótese alguma, afrontas ao Estado de Direito e à Constituição, através de imposições descabidas que refletem censura institucional.”

O presidente da Subsecção de Orlândia, Luiz Eugênio Marques de Souza, manifestou seu repúdio a atitude do TJ SP “quanto ao procedimento adotado para a escolha de lista tríplice da vaga destinada ao preenchimento do cargo de desembargador pelo Quinto Constitucional.”

Souza declarou apoio irrestrito e incondicional à Seccional para que, “em nome dos advogados paulistas faça prevalecer os comandos legais que regem a matéria, especialmente a notória competência da Ordem dos Advogados do Brasil para a confecção da lista sêxtupla sem qualquer ingerência do Tribunal de Justiça.”

Claudete Aparecida Cardoso de Padua, presidente da Subsecção de Itapevi, repudia a “absurda decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo ao desconsiderar uma das listas sêxtuplas apresentadas pela Seccional Paulista da Ordem para a escolha dos nomes que concorreriam à vagas do Quinto Constitucional e, em total desrespeito à Constituição Federal, aquele órgão ter elaborado uma nova lista, utilizando critérios escolhidos por aquele colegiado.”

O presidente da Subsecção de Itapetininga, Ricardo Lopes de Oliveira, externou seu irrestrito e incondicional apoio à D´Urso e classificou de “infeliz providência do TJ na devolução da lista encaminhada com vistas ao Quinto Constitucional, por entender que essa seccional, com esmera prudência e carinho, como sempre, soube selecionar os futuros desembargadores indicados.”