D´URSO LAMENTA MORTE DO MINISTRO FRANCIULLI NETTO


21/11/2005

D´URSO LAMENTA MORTE DO MINISTRO FRANCIULLI NETTO

D´URSO LAMENTA MORTE DO MINISTRO FRANCIULLI

“ A Justiça brasileira perde um dos seus mais ilustres e honrados magistrados. Seja pela sua competência jurídica, espírito público e envergadura moral; seja pela sua coragem na defesa da verdade e do Direito. O ministro Franciulli sempre esteve a serviço das grandes causas da Justiça e da cidadania ao longo de quase quatro décadas de dedicação à Magistratura. Ainda está fresca na memória de toda a Advocacia brasileira a posição solidária do ministro ao então presidente da OAB, Rubens Approbato Machado, quando este cobrou apuração rigorosa das denúncias de venda de hábeas corpus a quadrilhas de traficantes e se insurgiu diante da possibilidade de aposentadoria do magistrado suspeito de estar servindo de intermediário a este esquema, enquanto não se encerrasse toda a investigação. Corajoso, idealista, probo, um verdadeiro magistrado que honra o Judiciário nacional e todos os brasileiros e que, ao longo de sua trajetória profissional, soube ser coerente com o dever de zelar pelo bom cumprimento da lei”. Com estas palavras, o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, lamentou a morte do ministro aposentado do Superior Tribunal de Justiça, Domingos Franciulli Netto, em São Paulo, nesta segunda-feira (21/11), vítima de câncer.

Franciulli atuou durante seis anos no STJ , perfazendo 38 anos de dedicação à Magistratura, tendo iniciado a carreira como juiz substituto na 20ª Circunscrição Judiciária, em 1967, em Marília, Interior do Estado.Foi promovido a juiz de primeira entrância, no ano seguinte. De 1968 a 1975, serviu a Magistratura em Auriflama, Guaratinguetá, Sorocaba e Campinas. Em 1975, foi promovido a juiz de direito substituto na capital. Antes de assumir como desembargador do Tribunal de Justiça paulista, ingressou no Tribunal de Alçada Civil, onde ficou por quatro anos. Durante 17 anos, atuou no Tribunal de Justiça de São Paulo . Antes de seguir carreira na Magistratura, Franciulli atuou como advogado e professor de Direito Civil da PUC-Campinas e FMU, estava aposentado do STJ desde o último dia 16 de novembro.

O presidente D´Urso enviou, em nome dos advogados paulistas, mensagem de condolências à esposa do ministro Franciulli, Maria Thereza Oriente Franciulli, e aos filhos, Paulo Oriente Franciulli, Ana Rita Oriente Franciulli e Domingos Sávio Oriente Franciulli.

O corpo do ministro Franciulli está sendo velado no salão dos Passos Perdidos, no Tribunal de Justiça de São Paulo. O enterro será no Cemintério do Araça (Av. Dr. Arnaldo), às 17 horas.