OAB SP e TRT - 2 ª Região assinam convênio para estacionamento


01/06/2006

OAB SP E TRT - 2ª REGIÃO ASSINAM CONVÊNIO PARA ESTACIONAMENTO

OAB SP E TRT - 2ª REGIÃO ASSINAM CONVÊNIO PARA ESTACIONAMENTO

A OAB SP e o TRT - 2ª Região assinaram convênio para cessão de vagas para o estacionamento no Fórum Trabalhista, nesta quinta-feira (1/6), que deve solucionar definitivamente o grave problema de estacionamento para advogados naquele prédio. Pela Ordem, assinaram o presidente Luiz Flávio Borges D´Urso e o secretário-geral Arnor Gomes da Silva Filho e pelo Tribunal, a presidente Dora Vaz Treviño.

A administração do estacionamento será realizada conjuntamente pela OAB SP e a AASP (Associação dos Advogados de São Paulo). O novo estacionamento irá funcionar no 4º subsolo do Fórum Trabalhista e vai disponibilizar mais de 300 vagas para os advogados trabalhistas. Será gerido por meio de um regulamento que estabelece regras de permanência, permitindo a utilização do espaço por um número maior de usuários durante o funcionamento do Fórum.

Conforme D’Urso, essa parceria é altamente positiva e repete o sucesso e entrosamento que já vêm se registrando na administração conjunta das duas entidades em muitas salas de advogados nos fóruns do Estado. “É a advocacia que ganha com a união de entidades afins voltadas para objetivos comuns de prestação de serviço aos advogados. Cerca de 2.000 advogados que circulam diariamente no prédio serão beneficiados com mais esta iniciativa das entidades representativa da classe”, diz D’Urso.

Segundo Arnor Gomes da Silva, trata-se de uma conquista dos advogados. Desde o ano passado, a OAB-SP vinha realizando tratativas com a presidência do TRT-2ª Região, diante dos transtornos que a falta de vagas no estacionamento do prédio vinha causando aos advogados. “Em setembro de 2005, a Seccional oficiou o TRT, questionando os critérios de utilização dos estacionamentos, uma vez que estavam voltados unicamente aos juízes e funcionários, se propondo a arcar com a administração de uma área destinada aos advogados, um situação inaceitável uma vez que do total de mais de mil vagas, apenas 80 tinham sido destinadas para os advogados.