CPI do narcotráfico entrega fita e relatório para OAB SP


30/06/2006


O presidente do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB SP, Braz Martins Neto, e o diretor-tesoureiro da Ordem, Marcos da Costa, receberam nesta quinta-feira (29/6),  do sub-relator da  CPI do Tráfico de Armas, Raul  Jungmann, cópia de fita de vídeo gravada em 2003 no Parlatório do Presídio de Presidente Bernardes, com ordem judicial, na qual figuram  Marcos Camacho, o Marcola, líder de facção do crime organizado, e seu advogado. Também foi entregue um relatório, no qual são descritas as mensagens trocadas entre advogado e cliente, que caracterizariam comunicação destinada a membros do crime organizado.

“A tendência do crime organizado é cooptar o advogado. O que solicitamos basicamente à OAB é que talvez seja preciso uma supervisão mais próxima e continuada ao Tribunal de Ética e maiores cuidados junto ao advogados que atuam com o crime organizado e deixam de realizar seu trabalho e passam a atuar com a quadrilha. Agora, como sempre é necessário muita cautela e como sempre é fundamental entender que a OAB e os advogados são nossos parceiros. Nós não estamos aqui para incriminar nada. O comportamento (da OAB)  até aqui foi exemplar a esse respeito. Eu diria até que viria aqui, mesmo se não precisasse entregar a fita, para prestar uma homenagem a OAB SP . Ela foi célere, ela foi séria e ela tomou as providências.  A gente quer uma convergência, uma parceria. Se você não tiver sinergia e convergência para combater o crime organizado, nós não vamos sair dessa situação que estamos”, afirmou Jungmann.

O presidente do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB SP, Braz Martins Neto, afirmou que os documentos entregues pela CPI do Tráfico de Armas, serão analisados pelo TED e caso não constem do procedimento ético-disciplinar em curso na OAB SP contra o advogado, serão anexados ao processo.