OAB SP recebe adesões para a Quinta Romaria à Aparecida


05/07/2006

Um mês antes da tradicional Romaria dos Advogados à Aparecida, a Seccional abre inscrições para quem quiser participar do evento.

Firmando-se como uma tradição da advocacia paulista, no primeiro sábado de agosto (dia 5) será realizada a Quinta Romaria dos Advogados ao Santuário Nacional de Aparecida, na região do Vale do Paraíba, promovida pela OAB SP com o apoio da Subsecção de Aparecida. O evento já integra o calendário religioso da cidade e é co-organizado pelo presidente da presidente da Subsecção local, José Francisco Santos Rangel, e pelo conselheiro seccional Luiz Augusto Rocha de Moraes.

 

Com o apoio de parceiros, a OAB SP vai disponibilizar ônibus para os advogados da Capital irem até Aparecida. Os interessados em participar da Quinta Romaria dos Advogados podem, desde já, fazer seu pré-agendamento no Departamento de Cultura e Eventos , pelos telefones 3291-8190/8191.

 

O evento deve reunir centenas de profissionais é realizado em parceria com o seminário dos padres redentoristas, que tem como fundador e patrono Santo Afonso Maria Ligori, que foi um advogado italiano. "Sem dúvida, a romaria se tornou uma comemoração especial para a classe e uma referencia nas comemorações do Mês do Advogado", diz o presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso. Para o conselheiro Luiz Augusto, os que são religiosos poderão “exercer seu mister iluminados por Deus e tendo o manto de Nossa a protegê-los para que possamos pugnar pelos direitos dos nossos semelhantes”.

 

O encontro terá início, às 8h30, com a concentração dos participantes no Auditório dos Romeiros, que fica no subsolo da Basílica Nacional. Em seguida, às 9h30, haverá a palestra “Fé e Advocacia”, proferida por Antonio Carlos Malheiros e, às 12 horas, Missa Solene em Ação de Graças aos advogados paulistas.

 

Segundo D’Urso – a romaria será mais um momento de reflexão sobre a profissão, que deve ser exercida como um sacerdócio, tamanho são as dificuldades e os obstáculos que precisam ser vencidos diariamente. “Sobretudo neste momento difícil para a Advocacia, marcado pelo desrespeito aos direitos e prerrogativas profissionais da classe, devemos refletir e buscar a serenidade”, diz D’Urso.