Relatório do Jovem Advogado revela crescimento de participação


05/02/2007

foram 5.015 novos cadastros, sendo 2.214 no CJA, que reúne advogados novatos e estagiários de Direito, e 2.801 no NDA.

 

O conselheiro Fábio Romeu Cantou Filho entregou ao presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, o balanço do Conselho do Jovem Advogado (CJA) e do Núcleo de Desenvolvimento Acadêmico (NDA) da Seccional Paulista, relativo ao triênio 2004-2006. Os dados revelam crescimento na atuação dos advogados paulistas em órgãos corporativos que têm como escopo promover a integração e participação dos jovens profissionais nos destinos da Ordem. Seja por meio do apoio institucional a ações que mobilizem, dentro da entidade, questões de relevância para o desenvolvimento das atividades profissionais dos advogados em início de careira, ou na difusão dos conceitos de justiça e cidadania na sociedade com a prestação de serviços.

 

Conforme o relatório do triênio, foram 5.015 novos cadastros, sendo 2.214 no CJA, que reúne advogados novatos e estagiários de Direito, e 2.801 no NDA, vertente acadêmica do CJA, agrupando estudantes e bacharéis de Direito. Esses membros recebem informativos dos órgãos, participam de reuniões e debatem temas de interesse da Advocacia. No período, a número de adesões ao NDA subiu de 730, em 2004, para 875, em 2005, e 1.196 em 2006.

 

O CJA contabilizou crescimento nas adesões e, depois, se estabilizou. Em 2004, foram 684 novos cadastros; em 2005, 765, mesmo número aferido também no ano passado, quando finalizou a primeira gestão de D’Urso no comando da OAB paulista. Com maior afluxo de membros, foi necessário criar novas coordenadorias e ampliar o leque de debates corporativos.

O CJA criou as coordenadorias de Cidadania, Ação e Integração Sociais; de Descentralização; de Divulgação; de Estudos das Relações Bancárias e Empresariais; de Mídias Sociais; dos Novos Mercados de Trabalho; de Prática Forense (Processos Civil, Penal e Trabalhista), além dos programas “Conheça a OAB”; de Conscientização de Ética e Disciplina; de Conscientização de Prerrogativas. “Minha Experiência a Serviço do Colega”, no qual, por meio de palestras, decanos da Advocacia contavam suas experiências mais marcantes aos jovens advogados.

 

Segundo o conselheiro Fábio Romeu Canton Filho, que presidiu o CJA no triênio passado, todas essas coordenadorias e programas têm com meta principal preparar os novos inscritos, fazendo com que o jovem conheça a OAB, contribuindo para o aperfeiçoamento da profissão, estimulando a vida associativa como passo fundamental para a formação dos quadros que conduzirão a entidade no futuro. “A troca de experiência entre advogados experientes com advogados em início de carreira e estagiários leva a uma reflexão sobre questões institucionais importantes que a Ordem tem com prioridade, abrindo o caminho para a militância dos jovens advogados”, ressalta Canton Filho.

 

Por sua vez, o NDA também expandiu o número de coordenadorias para acolher mais participantes e trazer novas temáticas aos centro de discussões. Foram criadas as coordenadorias de Arbitragem; de Direito Imobiliário e Condominial; de Direito Trabalhista e Sindical; de Direito de Mercado de Capitais; de Estudos do Direito Civil; do Direito Penal; dos Novos Mercados de Trabalho; de Previdência Social e Complementar; e outra de Relacionamento com os Diretórios Acadêmicos dos cursos de ensino jurídico. “Esse quadro evolutivo reflete o dinamismo cada vez maior da classe, que se insere dentro de novas frentes de trabalho, sem abandonar as áreas clássicas, e tem a vem com a renovação da classe, que reúne cada vez mais profissionais”, ressalta Canton Filho.