LANÇADA A CAMPANHA DA BANDEIRA NACIONAL


12/04/2007

Entidades da sociedade civil e comandantes das Forças Armadas participaram do evento.

“Temos no Brasil um patriotismo sazonal, muito intenso durante a Copa do Mundo, quando as bandeiras brasileiras  tremulam por todos os cantos. Depois desaparecem,  o que não acontece nos países do Primeiro Mundo, que mantêm o pavilhão nacional ostentado como referencial perene do amor à pátria”. Com estas palavras o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, abriu  os discursos de lançamento da Campanha Nacional do Centenário da Festa de Aniversário da Bandeira Brasileira, no São Paulo Club, no dia 12 de abril, lideradas pela OAB SP e ADVB e apoiada pela FenaADVB, que contou com adesão da Associação Comercial de São Paulo e prefeituras  do Estado.

 

“ Estamos desencadeando esta campanha para que nesse período possamos envolver todas as forças vivas da sociedade e todos os brasileiros, que incontáveis iniciativas possamos realizar até chegar no dia 19 de novembro de 2008 que, em cada lar , espaço público ou privado tenhamos ostentado o pavilhão nacional”, completou D´Urso.

 

 Miguel Ignátios, presidente da ADBV, saudou os comandantes das Forças Armadas, homenageados durante o evento.“Bem-vindos a todos que estão chegando nesta terra paulista e nosso temporário adeus àqueles que estão partindo para novas e dignificantes tarefas. Nós paulistas esperamos de todos os cumprimento do dever, mas sobretudo integrados num grande propósito em respeito a todos aqueles padrões da nossa sociedade, da nossa pátria, a busca definitiva do desenvolvimento. Sem desenvolvimento não teremos resgate social. Precisamos desenvolver este país e as forças da sociedade civil, entre elas o empresariado brasileiro, estão todas emanadas em busca deste objetivo comum”, afirmou.

 

JB Oliveira, presidente da Comissão de Assuntos Institucionais e Corporativos da OAB SP, lembrou o tempo em  que o hino nacional brasileiro era cantado nas escolas, em que a bandeira do Brasil era hasteada. “ Quinze dias antes do Dia da Pátria, nas quadras das escolas, nós estávamos ensaiando, treinando para que no Dia 7 de Setembro nós pudéssemos, com o nosso desfile, com a nossa altivez, com o nosso amor engendrado à Pátria. Este é motivo que nos reuniu neste dia e reuniu também os nossos comandantes militares das unidades sediadas aqui em São Paulo, a quem devemos muito, a começar pela presença física, pessoal desse evento, poderiam quiçá enviar um representante. Sabemos de suas muitas atribuições, mas fizeram questão de aqui estar para dizer nós, comandantes militares, estamos presentes, juntos com a sociedade, não a sociedade civil, todos somo da sociedade civil, mas a sociedade brasileira, para empunhar bem alto a bandeira do Brasil e através desta bandeira do Brasil iniciar uma campanha do resgate do civismo e da cidadania”, afirmou. JB fez um resumo da biografia de cada comandante.

 

 

Na ocasião do lançamento  foram homenageados: o general  do Exército Luiz Edmundo Maia Carvalho e o gal. Antônio Gabriel Ésper, respectivamente o que deixa e o que assume o Comando Militar do Sudeste, o vice-almirante José Carlos Cardoso, da Marinha, comando do IV Distrito Naval e o major brigadeiro do Ar, comandante do IV Comar,  Aprígio Eduardo de Moura Azevedo . Eles receberam placas comemorativas pelos relevantes serviços em pró da democracia e da cidadania, no exercício do seu comando neste estado da Federação.

 

 

O general Carvalho,  comandante militar do Sudeste, lembrou que a  bandeira é conduzida pelos soldados, pelos marinheiros, pelos aviadores nas diversas campanhas e nas missões de paz que o Brasil tem participado  e que a Camapanha do Centenário da Festa  “recebe todo o apoio, atenção, o carinho e o empenho do Exército brasileiro com todas as suas organizações militares que diariamente hasteiam o pavilhão nacional, tendo presente neste hasteamento os nossos militares, principalmente aqueles que por força do serviço diário, inclusive nos sábados e domingos. Portanto, neste momento, no lançamento deste programa nos queremos, nos temos condições de abrigar os jovens nos nossos aquartelamentos para que eles participem das solenidades cívico-militares e apreciem todo o ritual militar de devoção à bandeira nacional. Meus cumprimentos tanto à OAB como a ADVB”, ponderou o general.