OAB SP INTEGRA CAMPANHA PARA CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O USO DO ÁLCOOL EM AMBIENTE DOMÉSTICO


31/08/2007

Por meio da Comissão de Defesa do Consumidor , a OAB SP participa da campanha.


 Por meio de sua Comissão de Defesa do Consumidor, a OAB SP integra a campanha de conscientização sobre o uso e manuseio do álcool como forma de combater acidentes em ambiente doméstico, promovida pela Pro Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) em parceria com a ONG Criança Segura Brasil, Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Paulista de Medicina (APM) e a Sociedade Brasileira de Queimaduras. Entre outras formas de conscientização da sociedade sobre os perigos trazidos pelo uso do produto, está sendo distribuída a cartilha “Segurança é coisa séria”, que traz uma série de advertências sobre a utilização do álcool e abre o debate para criação de uma política de prevenção.

 

Conforme o presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB-SP, José Eduardo Tavolieri de Oliveira, a sociedade precisa se conscientizar sobre os riscos de utilizar o álcool para fins domésticos, em especial limpeza e desinfecção de ambientes. “Estudos indicam que o uso álcool líquido responde por 80% dos acidentes com crianças e adultos queimados e por 96% das mortes por queimaduras no Brasil. Precisamos dar um basta a esse descalabro. Caminhamos na contramão da história. Enquanto nos países desenvolvidos as leis não permitem a venda desse produto altamente explosivo e inflamável, aqui podemos comprá-lo livremente de qualquer supermercado, sem quaisquer restrições”, avalia Tavolieri.

 

Essas entidades propuseram o movimento para que o álcool deixe de ser utilizado na limpeza doméstica. A Pro Teste comprovou, por meio de testes em laboratório, os riscos do produto em uso caseiro. Pode se incendiar facilmente, mesmo na versão em gel, representando perigo, sobretudo para crianças. A análise laboratorial envolveu 18 marcas do produto disponíveis no mercado brasileiro, metade em gel e metade na forma líquida tradicional. O foco da avaliação considerou apenas a questão da segurança para o consumidor. Por esse motivo, a campanha está sendo ampliada visando pressionar o Congresso Nacional a votar projeto de lei sobre restrição à venda do álcool; além da revisão pela Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) da Resolução 46/2002, que normatiza a comercialização do produto em todas as suas versões.