ADVOGADOS HONDURENHOS VISITAM SECCIONAL PAULISTA


09/11/2007


Nesta sexta-feira (9/11), a OAB-SP recebeu a visita de uma comitiva composta de nove advogados de Honduras, país da América Central, delimitado entre o Golfo de Honduras, Mar do Caribe, Nicaragua, El Salvador e Guatemala. O grupo liderado pelo vice-presidente do Colégio de Advogados de Hondura, entidade correspandente à Ordem dos Advogados do Brasil, Denis Rene Gallardo, teve um encontro protolocar com o presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, e participou de um ciclo de palestras sobre o sistema jurídico brasileiro.

 

Na abertura do ciclo de palestras, na tarde de hoje, na sede da entidade, o presidente da OAB-SP destacou a importância da visita dos advogados hondurenhos e reiterou o compromisso que a seccional paulista tem com a advocacia não só de São Paulo e do Brasil, mas com os advogados de todo o mundo. “É um motivo de orgulho e de festa para a maior entidade da sociedade civil deste país em receber os advogados hondurenhos”, disse D’Urso.

 

D’Urso realizou ainda uma explanação sobre a história e as perrogativas constitucionais da entidade que ultrapassam as atribuições corporativas dos 600 mil advogados brasileiros, dos quais 260 mil somente em São Paulo, incluindo o compromisso com a defesa do Estado Democrático de Direito, da cidadania e da rápida aplicação da Justiça. “Essas atribuições constitucionais possibilitaram uma aproximação ímpar da OAB com sociedade, testemunada nos seus 75 anos existência, fazendo da entidade uma caixa de ressonância da vontade da Nação. Basta ver que em cada capitulo da história brasileira tem a participação dos advogados”.

 

O vice-presidente do Colégio de Advogados de Honduras, que conta com apenas 14 mil advogados, evidenciou a importância da visita com vistas aos trabalhos de elaboração do novo Código de Processo Civil hondurenho, previsto para entrar em vigor em 2009. “Estamos aprendendo sobre a advocacia e o sistema judiciário brasileiros e tudo isso será colocado em prática, não apenas para proveito da advocacia, mas para todo o povo hondurenho”, afirmou Denis Rene Gallardo.  

 

Como contribuição ao desenvolvimento da advocacia e sistema jurídico de Honduras, a OAB-SP promoveu especialmenrte para os visitantes as palestras “Garantias do Direto de Defesa no Processo Penal Brasileiro”, ministrada pelo professor Antonio Magalhães Gomes Filho, vice-diretor da Faculdade de Direito da USP;  e “Necessidade de Mudanças de Modelos Mentais nas Pessoas, nas Organizações e nas Instituições”, proferida pelo professor Humberto Mariotti, diretor da Business School de São Paulo.

 

Em São Paulo, além da seccional OAB, a comitiva - ciceroneada pelo advogado George Augusto Niaradi, presidente da Comissão de Comércio Exterior e Relações Internacionais da OAB-SP e professor do curso de mestrado da Universidade espanhola de Alcalá - conheceu também o Tribunal de Justiça de São Paulo, a Faculdade de Direito da USP e o Serasa. Os advogados hondurenhos também estiveram em Brasília para conhecer o Conselho Federal da OAB e órgãos relacionados ao sistema judiciário brasileiro.

  

Também compuseram a mesa de trabalhos, além do presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso e do vice-presidente do Colégio de Advogados de Hondura, Denis Rene Gallardo, vice-diretor da Faculdade de Direito da USP, Antonio Magalhães Gomes Filho; o diretor da Business School de São Paulo, Humberto Mariotti; o presidente da Comissão de Comércio Exterior e Relações Internacionais, George Augusto Niaradi, que co-presidiu a mesa; o presidente da Câmara de Indústria e Comércio Brasil-Boliviana, Elio Galarza Garcia; e Luci Maria da Rocha Cavicchiolli, da Subseção de Presidente Prudente.