TRIBUTO A RUI BARBOSA


04/11/2007

 

Em 5 de novembro comemoramos o aniversário de Rui Barbosa de Oliveira - advogado, jurista, jornalista, político e ministro da Fazenda, nascido na capital baiana em 1849. Tornou-se um símbolo da sapiência e referência da capacidade criadora. Por isso, sua data natalícia foi transformada em Dia Nacional da Cultura, instituído pelo LF 5579/1970. Quando morreu (em 1923), deixou uma biblioteca com 50 mil títulos. Neste ano, temos um motivo adicional para lembrar desse intelectual que deixou um legado imensurável ao povo brasileiro: o sentimento de orgulho.  

 

Há exatos 100 anos acontecia a Segunda Conferência da Paz na cidade de Haia, na Holanda. O evento - iniciado no dia 15 de junho de 1907 - consagrou Rui Barbosa, representante brasileiro na reunião que congregou 44 delegações representando países europeus, americanos e asiáticos. A conferência tinha como escopo discutir e aprimorar mecanismos internacionais de conflitos, tratar de direitos de nações beligerantes e constituir tribunais internacionais de arbitragem.  

 

Por sua brilhante participação como chefe da delegação brasileira na cidade holandesa, Rui Barbosa ganhou o cognome de ‘Águia de Haia’, uma homenagem da sociedade ao homem que faz da integridade o lastro de sua vida. Rui Barbosa bacharelou-se em 1870 pela Faculdade de Direito de São Paulo, mais tarde encampada pela Universidade de São Paulo (USP), que neste ano está comemorando 180 anos de atividade.

 

No início da carreira – ainda na Bahia – aderiu  à campanha em defesa de eleições livres e diretas e da abolição da escravatura. Eleito deputado provincial, e tempos depois deputado geral, Rui Barbosa atuou na da reforma do código eleitoral, na reformulação do ensino, np processo de abolição dos escravos, no apoio ao federalismo e na nova Constituição. Por conta do seu prestígio, Rui Barbosa candidatou-se duas vezes ao cargo de presidente da República (1910 e 1919) sendo preterido em ambas, na primeira para Hermes da Fonseca; e na segunda para Epitácio Pessoa.

 

Deixou ao povo brasileiro o conceito do civismo, do exemplo de amor e de trabalho pela Pátria. Sua história é motivo de orgulho para toda a classe dos advogados.

 

Luiz Flávio Borges D’Urso

Presidente da OAB SP