OAB SP EDITA CARTILHA DE PREVENÇÃO À SAUDE DA MULHER


05/03/2008

A OAB SP, em parceria com a CAASP , lançou na terça-feira (4/3) a Cartilha “ Saúde da Mulher” de prevenção e orientação, dentro das comemorações da Semana da Mulher.


A presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP, Helena Diniz,  explica a preocupação da OAB SP com a saúde da mulher, que suplantou os homens entre o total de inscritos da Seccional. “ A mulher hoje  é portadora de doenças que eram características dos homens.  As doenças do coração hoje são mais danosas do que as chamadas doenças específicas das mulheres. O índice de doenças do coração aumentou 27% em comparação às DST.  O quadro se modificou , próprio da atividade exaustiva dela, com jornadas duplas, muitas responsabilidade”, explica Diniz.

 

 

A Cartilha " Saúde da Mulher", terá em sua primeira edição  10 mil exemplares, que servirão de orientação às mulheres.  Elas serão distribuídas nas comunidades de base mais importantes do Estado. A OAB SP, por meio da Caixa de Assistência dos Advogados também realiza anualmente da Campanha da Saúde da Advogada para orientar e prevenir doenças tipicamente femininas, como o câncer de mama.

 

 

No evento, a primeira-dama Monica Serra falou sobre a campanha Colar da Vida, voltada a combater  o câncer de mama, da qual é a idealizadora, e desenvolvida pelo Instituto Se Toque, criado por ela em 2005.“Apesar de tantas campanhas contra o câncer de mama, percebi que as mulheres estavam surdas para os apelos. Os números mostravam que o aumento nos casos de câncer de mama eram superiores ao crescimento da população feminina. Então pensei como poderia contribuir, já que nos contatos com a população feminina mais vulnerável à doença percebi que elas não fazem a mamografia porque têm medo de descobrir o câncer e porque o exame é dolorido, dizem elas. Aí surgiu a idéia de ensinar as crianças à necessidade da prevenção”, explica Monica.

 

Segundo Mônica Serra, a idéia do colar da vida, formado por pérolas de diversos tamanho, surgiu de uma pergunta simples – Por que as mulheres continuam morrendo de câncer se é uma doença  que tem cura? e da constatação que as crianças vinham sendo os melhores agentes tabagistas e mudando hábitos de saúde em suas famílias. “ Por que não usar as crianças , no bom sentido,  para serem agentes hábitos de prevenção de câncer de mama. O colar é um ótimo instrumento educativo, porque  pelo tamanho das pérolas é possível ter uma  idéia do grau de periculosidade do nódulo, tudo passado através de historinhas, dando todas as informações para a criança  levar para a mãe, para que ela faça o auto-exame,  se toque, se lembre”, explica Mônica.

 

Eduardo Blanco Cardoso, mestre, doutor e pós-doutor em Ginecologia pelo Departamento de Ginecologia da Faculdade de Medicina da USP, encerrou o evento com uma palestra sobre a “Saúde Integral da Mulher”.Segundo ele, dados de 2006 do Instituto Nacional do Câncer mostram que 48.930 mulheres tiveram câncer de mama. Destas, 10 mil morreram. “É a principal causa de morte entre mulheres. Já o câncer de colo mata mais de 5 mil mulheres por ano.” Realizando uma palestra prática, finalizou observando que as mulheres só se cuidarão quando conhecerem melhor suas necessidades e direitos.