DEPARTAMENTO DE CULTURA PREMIA VENCEDORES DO IV CONCURSO DE POESIA


13/03/2008

Com a participação de 1.300 poesias de autores de todo o Estado, o Departamento de Cultura e Eventos da OAB SP premiou, na última quarta-feira (12/3), em cerimônia concorrida na Câmara Muncipal, os vencedores de seu IV Concurso de Poesias.

Com uma emocionada declamação da poesia vencedora -- “Ao poeta Waly Salomão”, de Antonio Carlos Augusto Gama -- a OAB-SP encerrou na noite desta quarta-feira (12/3), na Câmara Municipal de São Paulo, o IV Concurso de Poesias 2007, que teve 1.300 trabalhos inscritos de advogados, estagiários e estudantes de Direito de todo o Estado de São Paulo. Dezenas de autores e seus familiares, além de convidados e aficionados por poesia, lotaram o salão nobre da Casa Legislativa paulistana para a cerimônia de premiação dos três melhores trabalhos, além da outorga de 10 Menções Honrosas.

 

O presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, saudou aos poetas participantes do concurso e destacou que a entidade dos advogados tem uma missão que ultrapassa os limites do debate corporativo, incluindo a promoção da cultura, que é um dos pilares de sustentação da cidadania plena e do Estado Democrático de Direito. “Por isso, não existe uma página na história do Brasil que não tenha a marca indelével da participação dos advogados, dos bacharéis e dos estudantes de Direito. Por esse legado, a Ordem participa de todos os grandes debates nacionais, incluindo os culturais, e onde houver uma causa justa, não haverá omissão da advocacia, enquanto força de transformação da sociedade”.

 

O também poeta, advogado e coordenador do IV Concurso de Poesias da OAB-SP, Djalma da Silveira Allegro, destacou a importância da promoção cultural da entidade, “que extrapola suas realizações fim do Direito para mexer com aquela parte do cidadão que costuma ser deixado de lado na vida, como a de escrever poesias”.  Allegro também ressaltou que “o homem está precisando de cultura e o advogado precisa ser um manancial dessa cultura, através da produção literária”.

 

Conforme Allegro, esse concurso vem da tradição da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, que em seus 180 anos de história acolheu alguns dos maiores expoentes da poesia brasileira e tem mostrado que ainda existe o culto da poesia entre os advogados. “Tanto que foi dificílimo classificar esses 13 poetas diante do grande número poesias de grande valor artístico em disputa. Tivemos uma reunião de cinco horas para escolher as 13 laureadas”. O coordenador do concurso também anunciou que está em estudo um projeto para criar uma antologia dos poetas da OAB-SP, como forma de fomentar essa tradição de novo para o meio advocatício.

 

O conselheiro seccional e diretor do Departamento de Cultura e Eventos da OAB-SP, Umberto Luiz Borges D’Urso, lembrou que muitos não acreditaram na realização do concurso que, no entanto, mostrou-se vitorioso e definitivamente se consolida dentro da entidade. “Não pode mais ser retirado do calendário de eventos promovidos ao longo do ano. Iremos realizar as futuras edições e, na próxima, queremos bater o número de duas mil poesias inscritas”, disse Umberto D’Urso, lembrando que nesta sexta-feira (14/3), comemora-se o Dia Internacional do Poeta.

 

Carlos Serra, presidente da Lex Editora, parceira da Ordem paulista na promoção deste concurso, registrou “satisfação em participar de mais uma iniciativa cultural da OAB-SP e reafirmou o compromisso de apoiar os futuros eventos similares pela relevância dessa arte na cultura brasileira”.  O vereador Dr. Farhat destacou a tradição dos poetas na advocacia e na literatura nacional. “É muito raro, num dia de semana, termos lotação completa do Salão Nobre da Câmara Municipal, o que prova a força da poesia nas raízes culturais do brasileiro”.

 

Com tema livre, o Concurso ofereceu prêmios em dinheiro, além de homenagens. O primeiro colocado recebeu R$ 1.300, placa comemorativa, livros e fita do evento. O segundo, R$ 800, placa comemorativa, livros e fita do evento; e o terceiro, R$ 400, placa comemorativa, livros e fita do evento. Do 4° ao 10° lugares, os autores receberam a Menção Honrosa, placa comemorativa e livros.

 

Participaram da mesa de trabalhos da cerimônia o presidente da OAB-SP, Luiz Flávio D’Urso; o diretor-tesoureiro da OAB-SP. Marcos da Costa; o vice-presidente da CAASP (Caixa de Assistência dos Advogados de SP), Kozo Denda; o vereador Dr. Farhat (PTB); o diretor do Departamento de Cultural e Eventos da OAB-SP, Umberto Luiz Borges D’Urso; o coordenador do IV Concurso Estadual de Poesia de Ordem paulista, Djalma da Silveira Alegro; o diretor-presidente da Lex Editora, Carlos Serra; a presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB-SP e presidente da Subsecção da Lapa da OAB-SP, Helena Maria Diniz; o presidente da Subsecção Pinheiros da OAB-SP, Mauricio Januzzi Santos; e o presidente da Comissão de Desenvolvimento Acadêmico da OAB-SP, Valmir Alves de Siqueira.

Conheça os Vencedores:

1º Colocado: Antonio Carlos Augusto Gama (Poesia: Ao Poeta Waly Salomão)

2º Colocado: Antonio Carlos Dagnolo (Poesia: Soneto do Amor Xadrez)

3º Colocada: Helga Maria Martins de Paula (Alice ao som de Cole Porter)

Menção Honrosa:

Ana Lucia Schiske de Souza Archidiacono (Poesia: Autobiografia)

Paulo César Galego (Poesia: Anchieta em Bronze)

Giselda Penteado Di Guglielmo (Poesia: Narciso)

Raquel Garcia Lemos (Poesia: Voz rouca ensaboada)

Willelm Rinaldo Rodrigues dos Santos (Poesia: Férreas Estradas Velhas)

Tâmara Amoroso Gonçalves (Poesia: Faço)

Sidnei Rosa da Silva (Poesia: Filho do Sol)

Carolina Gomes Silva Gonçalves (Poesia: O Resumo da Ópera)

César Augusto Alckmin Jacob (Poesia: Verbo Flor)

Mariana Bazanell Prebianchi (Poesia: Debaixo da Bandeira)