OAB SP APÓIA CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA POLIOMIELITE


11/06/2008


A OAB SP está apoiando a campanha de vacinação contra a poliomielite, doença mais conhecida como paralisia infantil, que acontecerá no dia 14 de julho em todo o país. A Seccional Paulista enviará mensagens eletrônicas para os advogados e advogadas do Estado, chamando a população para levar seus filhos menores de 5 anos aos postos de vacinação. A mensagem foi criada gratuitamente pela Agência Agnelo Pacheco.

“Mesmo com a doença erradicada no Brasil, não podemos descuidar. Outros países ainda sofrem com a paralisia infantil, que pode reaparecer se as crianças não forem vacinadas anualmente”, afirma o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´urso.

A poliomielite é uma doença infecto-contagiosa viral aguda que se manifesta de diversas formas. O quadro clássico é caracterizado por paralisia flácida de início súbito e acomete geralmente os membros inferiores. Em algumas pessoas a doença pode levar a paralisia dos músculos respiratórios e da deglutição, situação que pode levar à morte.

Mais comum entre crianças, a única medida eficaz de evitar a doença é a vacinação. No Brasil é realizada anualmente uma Campanha Nacional de Imunização para vacinar crianças com até cinco anos de idade, o que aumenta a cobertura contra a poliomielite. O país erradicou a doença em 1989 e recebeu em 1994 o certificado internacional de erradicação da transmissão autóctone da doença.

Com as campanhas de vacinação da OMS (Organização Mundial da Saúde), o número de casos de pólio no mundo diminuiu de 350 mil, em 1988, para 800, em 2003. No Estado de São Paulo, a Secretaria da Saúde pretende vacinar 2,9 milhões de crianças menores de cinco anos. O número corresponde a 95% dos 3,08 milhões de paulistas nesta faixa etária.

Nesta primeira fase, serão mobilizados 18,2 mil postos fixos e volantes em todo o Estado, que irão funcionar das 8h às 17h. Haverá 52,9 mil profissionais de saúde, 4,3 mil veículos e cinco barcos envolvidos na operação. Também serão atualizadas as vacinas atrasadas, como Tetravalente (contra difteria, tétano, coqueluche), Tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola) e contra hepatite. Os medicamentos estarão disponíveis nos postos de saúde ligados à campanha.

Em 9 de agosto acontece a segunda fase da campanha, que terá divulgação da dupla Zé e Maria Gotinha nas principais cidades paulistas. Há 20 anos, o Estado de São Paulo não registra casos de paralisia infantil, mas a vacinação de crianças continua sendo importante porque o vírus da pólio ainda circula em países da África e da Ásia, o que representa uma ameaça à população mundial.