EDSON VIDIGAL RECEBE CARTEIRA DA OAB SP


01/07/2008

O presidente a OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso , entregou nesta segunda-feira (30/6) ao ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Edson Vidigal, a Carteira de Advogado da Seccional Paulista da OAB. Vidigal permaneceu na magistratura por 20 anos, chegando à presidência do STJ e aposentou-se em 2006. “ É uma honra para a OAB SP receber em seus quadros alguém da magnitude do ministro Vidigal. A advocacia de São Paulo se engrandece com este novo inscrito”, afirmou D´Urso.

 

Edson Vidigal explica que tem uma ligação afetiva com São Paulo. “ Diria que São Paulo me salvou quando em 1964 eu fui cassado e preso pelo regime militar e migrei para cá. A partir daí, só tenho feito amigos em São Paulo e durante a minha magistratura, os 20 anos que  passei como ministro do Superior Tribunal de Justiça,  sempre recebi muito carinho, muito apoio. São Paulo me prestigiou muito e eu, retomando a atividade profissional de advogado, achei que  deveria ser um deles, um dos advogados de São Paulo”, pondera Vidigal.

 

O ex-ministro está entusiasmado com a volta à advocacia. “A advocacia é o grande suplemento com o qual a nação conta para afirmação do Estado Democrático de Direito. A OAB ontem no regime de exceção e, hoje,  ainda na transição para a democracia plena, porque nós ainda não estamos num estado de direito democrático concreto, então a OAB tem esse papel, que eu diria, didático. O advogado, no exercício da profissão, deve fazer com que as instituições funcionem mesmo na realização da justiça, pela aplicação do direito”, comenta. Para ele,  a advocacia não é apenas uma profissão para a sobrevivência, para o existencial, “ é uma missão e ao lado de ser uma missão ela é um compromisso do dia a dia porque defender a liberdade não pode ser como se fosse uma concessão. Essa defesa deve ter compromisso com a vitória do dia a dia.

 

Sobre o relacionamento entre advogados e magistrados, Edson Vidigal afirma que tem orgulho de sua atuação na magistratura. “Como magistrado, fiz tudo o que pude para melhorar a relação entre advocacia e magistratura. E sinto muito orgulho por onde ando e hoje meus colegas advogados proclamam que minha passagem pela magistratura como tendo sido de uma contribuição muito positiva. Nós, advogados, temos que manter as relações respeitosas, mas sem submissão, sem medo porque é verdade que a lei manda que o juiz tenha a obrigação de tratar as partes com urbanidade e urbanidade quer dizer educação, quer dizer respeito”, ressalta Vidigal.