IDENTIFICAÇÃO HUMANA EM ACIDENTES DE MASSA


10/07/2008

 

Várias são as técnicas capazes de identificar vítimas de acidentes, incêndios e quedas de aviões, por exemplo, quando não é possível conhecer a identidade dos cadáveres. A identificação humana é uma ciência que compara vestígios com características de um indivíduo, além de tratar da coleta e preservação dos corpos. Nos últimos anos, essa é uma das áreas da ciência criminal que mais evoluiu a partir das técnicas periciais e dos recursos tecnológicos disponíveis.

 

Essas técnicas vão desde as impressões digitais, passando pelo estuda da arcada dentária, reconstrução facial, exames de DNA, dando aos profissionais forenses condições de identificar vítimas e até criminosos.

No início de 2008,
cientistas norte-americanos anunciaram o desenvolvimento um novo teste de identificação humana mais rápido e possivelmente mais barato do que as análises de DNA. O teste poderá converter-se numa nova arma para a polícia e médicos legistas.

O novo método baseia-se na análise dos anticorpos, que são basicamente proteínas usadas pelo corpo para se defender de vírus ou desempenhar tarefas fisiológicas de rotina. Cada pessoa tem um "código de barras" de anticorpos único,  que é possível acessar a partir do sangue, saliva ou outros fluidos orgânicos.

 

Estas técnicas  serão tema da palestra “Identificação Humana em Acidente de Massa”, promovida pela Comissão de Direito Criminal da OAB SP, no dia 10 de julho, às 19 horas, no Salão Nobre da Ordem (Praça da Sé, 385, 1º andar).


Eduardo de Menezes Gomes, perito criminal do Núcleo de Odontologia Legal do IML de São Paulo, cirurgião dentista com especialização e mestre em Odontologia legal; Mário Jorge Tsuchiya, médico legista e bacharel em Direito, diretor técnico do Núcleo de Antropologia Forense do IML/SP e especialista em Medicina Legal e Medicina do Trabalho; e Norma Bonaccorso, bióloga e bacharel em Direito, perita criminal do Laboratório de DNA do IC/P, mestre e doutoranda em Direito Penal, serão os expositores.

 

Inscrições na sede da entidade ou pelo site www.aobsp.org.br, mediante a doação de uma lata de leite em pó integral.