REGIÃO DE SOROCABA PRESTA SOLIDARIEDADE AO PRESIDENTE DA SECCIONAL


22/07/2008

Os dirigentes da advocacia da Região de Sorocaba, que representam cerca de 8.000 advogados, reuniram-se em assembléia nesta segunda-feira, na Casa do Advogado da Subsecção de Votorantim, onde deliberaram solidariedade ao presidente da OAB-SP – Luiz Flávio Borges D’Urso – de apenas renovar o Convênio de Assistência Judiciária com a Defensoria Pública de São Paulo em bases mais justas para a advocacia.

 

Participaram do encontro: o presidente da Subsecção de Votorantim, João Dalmácio Mendes; o conselheiro estadual da OAB-SP, Américo de Carvalho Filho; o membro da Comissão Paritária da Seccional São Paulo, Luiz Antonio Machado de Werneck; o presidente Subsecção de Sorocaba, Antonio Carlos Delgado Lopes; a presidente da Subsecção de Tatuí, Silvia Regina Catto Mocelin; o presidente de Capão Bonito, Francisco Saccomano Neto.

 

Também compareceram o presidente de Piedade, Abner Teixeira de Carvalho; o presidente da Subsecção de Salto, Haroldo Lais Ribeiro Júnior; a presidente da Subsecção de Boituva, Amariles Primo Sebastiani; a vice-presidente da de Porto Feliz, Lídia Maria de Lara Fávero; além dos coordenadores das Comissões de Assistência Judiciária, Ricardo Tadeu Strongoli; Elza Helena dos Santos; João Augusto Fávero; Jurema de Freitas Barbosa Hagen.

 

Diante da problemática surgida na renovação do Convênio da OAB-SP e a Defensoria Pública do Estado de São Paulo, deliberaram:

 

a) referendar a posição adotada pela Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção São Paulo, qual seja, de apoio a classe dos Advogados diante das condições impostas pelo famigerado Convênio;

 

b) sugerir que a Seccional Paulista da Ordem dos Advogados do Brasil ingresse judicialmente, de forma imediata, contra a flagrante ilegalidade e inconstitucionalidade do chamamento feito pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo, convocando os Advogados a se inscreverem diretamente frente à esta Instituição;

 

c) que o I Tribunal de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil, por meio da Câmara Deontológica, se posicione quanto a condição ética de quem aderir a este chamamento;

 

d) recomendar a todos os advogados que se mantenham unidos em torno do movimento deflagrado pela Seccional Paulista, visando unicamente a melhoria das condições firmadas pelo atual Convênio.

Tags: