CONSELHO SECCIONAL COMEMORA EM SESSÃO FESTIVA OS 65 ANOS DA AASP


19/08/2008

Em comemoração ao Mês do Advogado, a OAB SP reuniu as principais lideranças da advocacia paulista para homenagear a Associação dos Advogados de São Paulo (AASP), que em 2008 está comemorando 65 anos de fundação.

 Além de toda a diretoria da Ordem de São Paulo, participaram da solenidade os diretores de outras entidades representativas da classe, como do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), do Centro de Estudos da Sociedade de Advogados (CESA) e conselheiros seccionais e federais da OAB SP.

 

Compuseram a Mesa de Trabalhos da solenidade festiva o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’Urso; o presidente da homenageada AASP, Márcio Kayatt; a presidente do IASP, Maria Odete Bertasi; o vice-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), desembargador Jarbas João Coimbra Mazzoni; o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no biênio 2006-2007, desembargador Paulo Henrique Barbosa Pereira; o advogado e jornalista Walter Ceneviva; e o presidente da CAASP (Caixa de Assistência do Advogado de São Paulo) e diretor-financeiro da OABPrev-SP, Sidney Uliris Bortolato Alves; e o presidente do CESA e ex-presidente da AASP, Antonio de Souza Correa Meyer.

 

O presidente da OAB SP destacou a importância do encontro que reuniu os principais líderes da classe dos advogados de São Paulo, que reúne 280 mil profissionais. “Esse dia é um marco para a advocacia do nosso Estado, ainda com parte das comemorações do Dia do Advogado ao demonstrar a união da classe por meio desse encontro de entidades co-irmãs”, avaliou Luiz Flávio Borges D’Urso, lembrando que nos últimos tempos as entidades convivem em “harmonia absoluta, não só de propósitos, mas de empreendimentos”, razão pela o Conselho Seccional avalizou a homenagem à AASP. “A homenagem é a materialização do sentimento de irmandade que a OAB-SP tem com a AASP”.

 

O conselheiro federal da OAB-SP, Jorge Eluf Neto, autor da proposta de homenagem, fez a saudação ao presidente da AASP, Marcio Kayatt, lembrando que a irmã caçula das três principais entidades de representação dos advogados, atualmente conta com mais de 85 mil associados, constituindo-se numa das maiores e mais atuantes entidades de advogados do Brasil. “Sua atuação em prol da advocacia, tanto no aspecto corporativo como no institucional representa uma ferramenta indispensável ao exercício da profissão pelos inúmeros serviços prestados aos seus associados e inestimável contribuição ao aperfeiçoamento do Direito e da Justiça, como temos testemunhado em diversas ocasiões, a exemplo de recentes episódios de atentados a escritórios de advocacia e a busca de solução para extinção da Carteira de Previdência dos Advogados”, lembrou Eluf Neto.

 

Marcio Kayatt – presidente da AASP – ressaltou a importância da união e da convivência harmoniosa das quatro entidades representativas da advocacia paulista, cuja pujança é evidenciada pela existência dessas associações. “É uma imensa satisfação receber essa homenagem que toca os 85 mil associados e que cada um deles deve se sentir homenageado. A OAB-SP terá a AASP sempre como uma parceira na luta desta labuta tão difícil que é a advocacia”, disse Kayatt que destacou também a importância da proximidade das entidades de classe.

 

“Essa união foi importante principalmente quando tivemos recentemente uma das fases mais difíceis da advocacia, principalmente da paulista. Os advogados nunca foram tão massacrados, atacados e violentados para parte da Magistratura, parte do Ministério Público e parte da imprensa, que querem colocar na advocacia todos os problemas de corrupção e de bandalheira que hoje assolam o país, como se os advogados fossem os responsáveis por esse quadro. E é nesse momento que se faz de extrema importância a união de entidades que representam a advocacia. Se a advocacia não estiver unida, não chegaremos a lugar nenhum, como o episódio de projeto de lei da inviolabilidade dos escritórios de advogados, que se não fosse a marcação cerrada, a luta junto às autoridades federais para mostrar a importância a sanção do PL, ele não teria sido sancionado”, destacou Kayatt, lembrando também a ações para preservar direitos dos advogados inscritos na Carteira de Previdência do IPESP realizadas pelas entidades de classes. “Só a união traz o respeito a esses direitos”.