COMISSÃO DA MULHER ADVOGADA E DEPARTAMENTO DE CULTURA ENTREGAM PRÊMIO MARIA IMMACULADA


03/09/2008

Em solenidade que acontecerá na próxima terça-feira (9/9), às 19 horas, no Salão Nobre da Seccional (Praça da Sé, 385, 1º andar), a OAB-SP – por meio da sua Comissão da Mulher Advogada e do Departamento de Evento e Cultura – promove a entrega do Prêmio Maria Immaculada Xavier da Silveira às mulheres que lutaram em prol da advocacia brasileira

Serão homenageadas nove mulheres advogadas que se destacaram por seus méritos e atitudes no campo profissional,  nem sempre ligados ao mundo jurídico,  como parte das comemorações dos 75 anos de fundação da Ordem paulista. São elas:

Adriana Galvão Moura Abílio, advogada, mestre em Direito Constitucional 

Chieko Aoki , advogada e empresária da rede hoteleira

Esther de Figueiredo Ferraz , advogada,  primeira mulher a ocupar um ministério no Brasil. 

Fabiola Marques , advogada, presidente da Associação dos Advogados Trabalhistas de São Paulo 

Ivette Senise Ferreira , advogada, conselheira da OAB SP e primeira diretora da Faculdade de Direito da USP, 

Laís Amaral Rezende de Andrade , advogada, ex-presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP

Lia Junqueira , advogada e diretora do Cerca, 

Lygia Fagundes da Silva Telles , advogada e escritora, imortal da Academia Brasileira de Letras.

Maria Odete Duque Bertasi , advogada , presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo 

“ O prêmio faz um tributo  à primeira mulher inscrita na OAB SP e simboliza a mudança e a quebra de paradigmas da atuação da mulher brasileira no mercado de trabalho", diz Helena Maria Diniz, presidente da Comissão da Mulher Advogada. A advogada Maria Immaculada Xavier da Silveira recebeu  o número de inscrição 615, conquistado no dia 26 de janeiro de 1932, conforme a folha 11 do Livro número 1 de Atos dos Trabalhos da Diretoria da Seccional. A primeira advogada de São Paulo nasceu no dia 9 de setembro de 1900, na cidade de Piracicaba. Inscreveu-se na Faculdade de Direito de São Paulo, mais tarde incorporada pela USP, em 29 de janeiro de 1921 e colou grau em 23 de dezembro de 1925.

 

“Fazer parte da história da advocacia paulista é um privilégio para as mulheres neste milênio. Imagine para uma mulher 75 anos atrás que precisou transpor uma série de barreiras que eram fato comum e corrente para a época", destaca a presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP, Helena Maria Diniz. Hoje,  mais de 50% dos inscritos na Ordem paulista são mulheres; constituem a metade dos estudantes dos cursos de Direito em São Paulo; representam cerca de 40% da aprovação em concursos para a magistratura, sendo que 25% integram a Justiça Comum e 34% a Justiça do Trabalho, além de estar crescendo o número de ministras que nos Tribunais Superiores, uma revolução no Judiciário brasileiro.

 

Maria Immaculada Xavier da Silveira, cursou os estudos primários e secundários em escolas piracicabanas. Depois de formada pela Faculdade de Direito de São Paulo, ocupou a tribuna do júri no Rio de Janeiro, onde organizou, inclusive, uma Semana da Advogada. Além de conferencista, era fluente nas línguas francesa, inglesa e alemã. Por isso, foi escolhida para dar nome ao prêmio de reverencia o trabalho da mulher no Sistema Judiciário.


Clique aqui para ver as fotos da entrega do prêmio