OAB SP APÓIA MUDANÇA DO FÓRUM TRABALHISTA DE CAMPINAS


16/09/2008

O Fórum Trabalhista de Campinas deixará o Centro para ocupar um novo prédio de 15 andares na Avenida Norte-sul, ampliando suas instalações.

O secretário-geral da OAB SP, Arnor Gomes da Silva Junior, visitou nesta terça-feira (16/9) o novo Fórum Trabalhista de Campinas  e elogiou as instalações. “ Sem dúvida, será um espaço-cidadão, onde  a Advocacia e o jurisdicionado poderão contar com acomodações mais dignas, confortáveis e espaçosas”, diz Arnor, que também esteve com o presidente do TRT-15, desembargador Luiz Carlos de Araújo.

"Esta nova unidade forense traz melhores condições para os juízes, para os integrantes do MP , para os advogados e para a população. Assim sendo, merece nosso apoio integral", afirma o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, expressando o endosso da Seccional à mudança para o novo prédio.

As novas instalações da Justiça trabalhista campineira foi viabilizada por  meio convênio firmado pelo  Tribunal Regional do Trabalho – 15 Região ,  com a  Caixa Econômica Federal  e Banco do Brasil. As duas instituições bancárias serão as responsáveis financeiras pela locação do edifício de 15 andar, onde será instalado  o novo Fórum Trabalhista, cujas obras estão em fase final de acabamento.

“ Os advogados trabalhistas de Campinas terão um novo prédio  com melhores condições de trabalho, uma vez que hoje sofrem no prédio do Centro, com   12 Varas,  insuficientes para contemplar a demanda da justiça trabalhista da região, que vem crescendo”, ressalta a presidente de Subsecção de Campinas, Tereza DÓro.

Arnor lembra que em São Paulo a mudança da Justiça Trabalhista do centro para o Fórum Trabalhista  Rui Barbosa, na Barra Funda, foi benéfica para os advogados trabalhistas e para a população, que sofriam em Varas precariamente instaladas em prédios deteriorados do centro de são Paulo. Com a mudança, o fórum antigo  de Campinas vai abrigar gabinetes de desembargadores e novas secretarias de turmas diante da ampliação da composição do Tribunal, de 36 para 55 membros.