OAB SP VAI EXPOR CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO PARA FACULDADES DE DIREITO


29/09/2008

Levar o modelo de ensino jurídico, praticado pela maioria dos cursos, a um padrão de qualidade , é o desafio que será analisado pela OAB SP e faculdades, no próximo dia 2 de outubro, às 14 horas, no Salão Nobre da OAB SP, quando a Comissão de Ensino Jurídico da Seccional Paulista vai reunir coordenadores de graduação e mantenedores da maioria das 222 faculdades de Direito do Estado de São Paulo.

 “ Pretendemos nesta reunião  estreitar os laços com a comunidade acadêmica do Direito e expor os critérios de avaliação da OAB por meio de seminário, no qual as  principais diretrizes  que regem a OAB e o ensino jurídico brasileiro serão tratadas”, explica Dirceo Torrecillas Torres, presidente da Comissão de Ensino Jurídico.

 Para o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, este encontro significará um grande esforço na luta conjunta por um ensino jurídico de melhor qualidade e um modelo mais atual de ensino, que não prepare o bacharel apenas para o contencioso. “ A OAB tem  o deve legal de colaborar com o aperfeiçoamento dos cursos jurídicos e opinar sobre os pedidos de autorização e reconhecimento desse cursos (Decreto 2306/97), levando  em consideração corpo docente, projeto pedagógico,  biblioteca, núcleo de práticas jurídicas, infra-estrutura, distribuição de cursos pelas unidades da federação etc.  O advogado quando recebe a Carteira da OAB pode patrocinar  uma causa no valor de mil ou um milhão de reais . Assim como pode advogar  junto a um juízo de primeira instância ou perante o Supremo Tribunal Federal . Portanto, ele precisa estar minimamente preparado”, justifica D´Urso.