OAB SP ESTRANHA SILÊNCIO DA SECRETARIA DE SEGURANÇA SOBRE PEDIDO DE AUDIÊNCIA PARA TRATAR DA GREVE DA POLÍCIA CIVIL


15/10/2008

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, divulgou nesta quarta-feira (15/10) Nota pública, estranhando a ausência de resposta do secretário de Segurança Pública a um pedido de audiência da Ordem.

                                  NOTA PÚBLICA

     Ao completar um mês da paralisação da Polícia Civil, a OAB SP estranha o comportamento do secretário de Segurança Pública,  Ronaldo Marzagão, advogado inscrito nessa Casa,  que não respondeu ao pedido de audiência da Ordem. Trata-se de uma desconsideração para com a OAB SP e para com a própria classe. Este não tem sido o comportamento que tem norteado as relações entre a Secretária de Segurança Pública do Estado de São Paulo e a Ordem dos Advogados do Brasil – Seção São Paulo, marcadas pela colaboração.

 

     Diante dessa ausência de resposta da Secretaria de Segurança Pública a um pedido de audiência da Ordem para tratar de assunto de interesse da cidadania, encaminharei o que teria a dizer, por escrito, ao senhor secretário de Segurança, fazendo um relato da reunião realizada na OAB SP, no dia 10 de outubro, com dirigentes de sindicatos de policiais civis.

 

    A OAB SP em nenhum momento tomará partido, seja da Polícia Civil ou do  Governo, porque essa não é sua função. Nos propusemos a uma interlocução no sentido de colocar um fim ao impasse, para que se chegue, o quanto antes, a um ponto de convergência que contemple o interesse maior dos cidadãos paulistas pela normalização da segurança pública no Estado.

 

    Reitero o apelo de que o diálogo deve reger as relações institucionais entre órgãos do Estado e entidades da sociedade civil, especialmente quando se trata da OAB SP.

 

            São Paulo, 15 de outubro de 2008

 

 

                  Luiz Flávio Borges D´Urso

                        Presidente da OAB SP