SECCIONAL LAMENTA MORTE DO JURISTA CALMON DE PASSOS


23/10/2008

Com pesar, o presidente da OABSP – Luiz Flávio Borges D’Urso – lamenta a morte do jurista José Joaquim Calmon de Passos, aos 88 anos, ocorrida ma madrugada deste sábado (18/10), em Salvador.

 Calmon de Passos foi vítima de enfarto do miocárdio fulminante, seu corpo foi sepultado no cemitério Jardim da Saudade, na capital baiana, deixando consternada uma legião de admiradores, estudantes e estudiosos do Direito. “O advogado decano, reconhecido como um dos mais talentosos juristas da Bahia, deixa um legado de dedicação e trabalhos de valor imensurável em prol das ciências jurídicas do Brasil”, afirma D’Urso.  

 

Ao longo de décadas na profissão, o advogado construiu uma carreira brilhante e tornou-se professor emérito da Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e prestigioso pensador do Direito. Era palestrante disputado por congressos e seminários por seu posicionamento controverso, porém sempre dotado de coragem e posicionado crítico diante da realidade nacional. “Perdemos um modelo de profissional e isso deixa um vácuo no pensamento jurídico brasileiro”, ressalta o presidente da Ordem paulista e confesso entusiasta da obra de Calmon de Passos.

 

Listado entre os títulos clássicos sobre o tema, se trabalho "Comentários ao Código de Processo Civil" tornou-se obra de referência não somente aos estudantes dos cursos de ensino jurídico, mas também aos profissionais mais experientes do direito, porque abrange algumas das mais importantes fases do processo do conhecimento das ciências jurídicas brasileiras. Fez do ensino uma das fontes de transmissão de uma saber jurídico louvado e reconhecido. Foi livre-docente da Faculdade de Ciências Econômicas da UFBA e coordenador do curso de especialização em Processo do Centro de Cultura Jurídica da Bahia, em parceria com a Faculdade Baiana de Ciências. Era  também membro da Academia de Letras Jurídicas da Bahia e procurador aposentado Ministério Público do Estado.