SÃO PAULO: 455 ANOS DE VOCAÇÃO LIBERTÁRIA


23/01/2009

Luiz Flávio Borges D´Urso

 

No centro de São Paulo –  onde no dia  25 de janeiro de 1554 padres da Companhia de Jesus fundaram o Colégio de Jesuítas,  origem ao povoado de São Paulo de Piratininga  ainda se concentra  grande parte da comunidade jurídica paulistana, com o Fórum Central João Mendes, a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, a mais antiga do país,  as sedes da OAB SP, o Palácio da Justiça e a sede do Ministério Público.

Ao longo dos seus 455 anos,  a vila pobre e ponto de partida das bandeiras, tornou-se uma metrópole moderna,  que responde hoje por cerca de 10% da produção industrial do país. Em quase meio milênio, manteve uma característica: sua vocação libertária, em nome da qual os paulistas e os paulistanos empreenderam inúmeras lutas pela cidadania, pela democracia e pelo Estado Democrático de Direito.

Berço da independência do Brasil, a cidade confirmou também sua vocação libertária com as lutas empreendidas pelos bacharéis de Direito na então Faculdade de Direito do Largo São Paulo,  como a Revolução Constitucionalista de 1932. As Arcadas  constituíam uma instituição-chave para o desenvolvimento da nação, que se destinava a formar governantes e administradores públicos capazes de estruturar e conduzir o país recém-emancipado. Tais desígnios não demoraram a se realizar, e a presença dos bacharéis logo se fez sentir em todos os níveis da vida pública nacional.

Nos últimos 77 anos,  a história de São Paulo ganhou mais uma referência, a fundação da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção São Paulo, também  no mês de janeiro, onde se ergueria uma das mais importantes resistências contra o autoritarismo e o arbítrio, na defesa dos direitos e liberdades individuais e coletivos, participando dos grandes momentos, nos quais os paulistas foram às ruas lutar pela defesa da democracia, como durante a campanha pelas Diretas-já.

Por isso, é  com muita alegria que a Seccional paulista da OAB rende suas homenagens a São Paulo em seu 455º aniversário. Mário de Andrade, talvez o mais paulistano dos escritores, em “Paulicéia Desvairada” , rompeu com as estruturas literárias do passado ao louvar a capital de todos os paulistas . “ São Paulo! Comoção de minha vida”, disse Mário, propondo revoluções estéticas e mudanças de paradigmas, como faz a cidade  desde sua fundação, diuturnamente, em todas as frentes, não só nas artes.

Neste aniversário de São Paulo, a Advocacia paulista, representada por 280 mil advogados, cuja sede se encontra no Marco Zero da cidade, presta seu tributo a essa cidade sempre renovada, graças à sua capacidade de se reinventar e de ser multicultural, multiracial, inclusiva, libertária e única para cada um de seus moradores.

 

Luiz Flávio Borges D´Urso

 presidente da OAB SP