OAB SP VAI INTEGRAR COMITÊ DE BUSCA A CRIANÇAS E ADULTOS DESAPARECIDOS


05/03/2009

A OAB SP foi convidada pelo coordenador da Comissão municipal de Direitos Humanos, José Gregori, para liderar um comitê com mais de 40 entidades empenhadas na busca por crianças e adultos desaparecidos. O nome do comitê, Caminho de Volta, é uma referência a um projeto do CEIOF/Faculdade de Medicina da USP, do qual a Ordem é parceira.

 

O convite foi formalizado nesta segunda-feir(2/3), durante uma manifestação na Praça da Sé da Associação Brasileira de Busca e Defesa a Crianças Desaparecidas (ABCD/Mães da Sé), que contou com o apoio da Associação Paulista de Medicina (APM) e do Movimento Mulheres da Verdade, entre outras entidades. A manifestação faz parte das homenagens  ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março.

“ A proposta do comitê é positiva porque o governo junto com a população podem chamar a atenção da sociedade  para a questão e promover esforços visando encontrar  soluções. O drama vivido pelas Mães da Sé é um grave problema que o país enfrenta”, discursou o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’Urso. “No Brasil, desaparecem por ano cerca de 200 mil pessoas. A seccional paulista da Ordem oferece toda a sua estrutura no estado a esse movimento e reafirma seu compromisso com a cidadania trazendo não só sua solidariedade, mas também o empenho dos seus 280 mil advogados para que possamos ajudar essas pessoas a buscar o caminho de volta.”

A OAB SP mantém um convênio com o Centro de Estudos Instituto Oscar Freire (CEIOF), associado ao Centro de Ciências Forenses do Departamento de Medicina Legal, Ética Médica e Medicina Social da Faculdade de Medicina da USP, com o propósito de  colaborar com o “Projeto Caminho de Volta”  na implementação de um sistema de informações que contribua na elucidação de casos de desaparecimentos de crianças e adolescentes,  bem como a re-inserção me seus lares

Atualmente, apenas em São Paulo são registrados cerca de 1,5 a 2 mil desaparecimentos. Foi nesse contexto que Ivanise Esperidião fundou há 13 anos o Mães da Sé. “Estamos aqui na escadaria da catedral todo segundo domingo do mês, faça chuva ou faça sol, frio ou calor”, declarou Ivanise. “Esse trabalho nasceu porque eu também perdi a minha filha. Graças a ele, já conseguimos devolver para as famílias mais de duas mil pessoas.”

Em seu pronunciamento, Gregori afirmou que “movimentos como esse já deram certo em muitos países. Esse ato de hoje também vai ter conseqüências. Uma delas é que daqui a 40 dias nós vamos convocar todas as entidades que fazem parte desse movimento para fundar o comitê Caminho de Volta. Isso é mais prático do que fazer pressão sobre o governo para criar uma delegacia especializada. Debaixo da tradição da OAB, podemos reclamar providências para que o Brasil não tenha um quadro como esse”, afirmou.

Também participaram do evento a diretora de Ações Comunitárias da Associação Paulista de Medicina e presidente da Associação Movimento Mulheres da Verdade, Yvonne Capuano, a presidente do Conselho Estadual da Condição Feminina, Rosemary Corrêa,  o assessor da presidência  da Associação Paulista de Medicina, Luis Antonio Nunes e a advogada Adriana Felizzola D´Urso, representante da OAB SP no Movimento Mulheres da Verdade.

Ao final do ato, cinco mil balões foram soltos, simbolizando as crianças desaparecidades no Estado de São Paulo. Também foi celebrada uma missa em homenagem às crianças e a Catedral recebeu iluminação rosa, no início da noite.