OAB RELANÇA EM RIO PRETO CAMPANHA CONTRA A PEDOFILIA


23/03/2009

Na abertura do 11º Encontro Regional de Advogados em São José do Rio Preto, nesta sexta-feira (20/3), o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, relançou a Campanha da Ordem contra a pedofilia. " Na primeira edição visamos alertar sobre as crianças que sofriam abusos dentro de casa, por pessoas próximas, como o pai, o padrasto, o tio etc.Nessa segunda etapa buscamos chamar a atenção da sociedade para o problema quando ocorre fora de casa, caso da rede de pedofilia descoberta na cidade de Catanduva", destacou D´Urso.

O presidente ressaltou, ainda, que a nova campanha dará destaque à Internet, que vem sendo utilizada pelos pedófilos  para alcançar suas vítimas, alertando os pais sobre a necessidade de monitorar o que as crianças e adolescentes acessam na rede. Segundo o presidente, todas as 218 Subsecções da Ordem estão abertas a receber denúncias que ajudem as autoridades a combater este crime.


O foco da  nova campanha é a conscientização da população no sentido de  proteger as crianças, pois elas enquanto vítimas, muitas vezes, não conseguem pedir socorro ou se reconhecer como vítima. " Por estarem em formação e fragilizadas, não  conseguem discernir sua condição de vítima de uma agressão tão grave. Assim, buscamos pela campanha a conscientização sobre o problema,  que somente acontece com informação, mantendo o tema em debate e  propagando a rejeição à pedofilia", explica D´Urso.


O presidente da OAB SP esclareceu, ainda, que a Ordem está  acompanhando as investigações em Catanduva sobre a rede de pedofilia que vitimou dezenas de crianças. " Entendemos que  a apuração deve ser profunda, doa a quem doer, pois não se admite  que essa investigação não ocorra  de forma aprofundada. A OAB SP preconiza, sem fazer juizo antecipado de valor,  que tem de apurar independente de quem seja  o acusado e ou da posição social que ocupe. Se houver  elementos  para um processo criminal, que seja instaurado e se houver provas  que dêem suporte a uma acusação, que ocorra", afirmou D´Urso.