ESTUDANTES DE DIREITO POLONESES VISITAM A OAB SP


19/01/2010

Nesta quarta-feira, dia 20 de janeiro, a OAB SP recebeu a visita de 22 estudantes de Direito da Universidade Pública de Lodz, na Polônia.

 Os  estudantes poloneses foram recepcionados na OAB SP pelo presidente da entidade, Luiz Flávio Borges D’Urso, pelo diretor do Departamento de Cultura e Eventos, Umberto D’Urso,  o presidente da Caasp, Fábio Romeu Canton Filho; o diretor pedagógico da FMU Roberto Moreira, o coordenador do Curso de Relações Internacionais da FMU, Manuel Nabais de Furriela, vice-direto da Faculdade de Direito da FMU, Guilherme de Carvalho Júnior, e pelo advogado Aleksander Mendes Zakimi, presidente da Comissão de Apoio ao Advogado Professor da OAB SP, coordenador da Comissão do Jovem Advogado – Coordenadoria de Processo Civil e professor do curso de Direito na FMU. Também prestigiou o evento Paulo Hamilton Siqueira Jr, coordenador do curso de Direito da FMU.

 

Em seu discurso de boas-vindas aos acadêmicos poloneses, o presidente Luiz Flávio Borges D’Urso contou que seu filho também participou do programa de intercâmbio, na Polônia. D’Urso explicou aos visitantes que a OAB surgiu a partir do Instituto dos Advogados Brasileiros e que a missão da entidade é organizar, disciplinar e defender os interesses da categoria. “Contudo, a Ordem se diferencia de todas as outras categorias de classe na medida em que tem por obrigação legal defender a cidadania. Em muitas oportunidades, a Ordem liderou a sociedade em direção às transformações que o Brasil sofreu, o que a diferencia também das entidades co-irmãs de outros países, como o BAR, dos EUA”, explicou D’Urso.

 

A seccional paulista da Ordem é a maior do país, pois congrega a metade dos advogados de todo o Brasil, estimados em 600 mil. A OAB SP possui 223 subseções no estado, cada uma com a sua estrutura política e administrativa. “Além disso, por força de lei todo fórum e todo prédio da justiça tem que ter uma sala para que a OAB possa montar serviços de cópias, computadores e telefones à disposição dos advogados. Nós temos no estado de São Paulo mais de mil salas com essa estrutura para atender os colegas”, acrescentou D’Urso.

O trabalho dos conselheiros, diretores de subseções e do presidente da OAB SP é voluntário. Os funcionários contratados são em número de três mil. Para dar suporte à direção, a Ordem conta ainda com mais de cem comissões temáticas que versam sobre temas como direitos humanos, prerrogativas profissionais, mediação e arbitragem e ramos específicos do Direito, como Direito do Trabalho, Penal, Civil, Comercial, Tributário, Constitucional etc. 

“Também fazem parte da estrutura da nossa entidade uma Caixa de Assistência e a Escola Superior de Advocacia, que dá continuidade à formação dos advogados”, contou D’Urso.

O presidente da OAB SP explicou ainda que para exercer a profissão de advogado no Brasil é preciso por lei estar inscrito na OAB e, para se inscrever na OAB, desde a década de 1970 é preciso ser aprovado um exame. “Ao longo desses mais de 30 anos verificou-se que o nível dos bacharéis de Direito foi caindo, e, com isso, aumentou o índice de reprovação. Isso ocorreu em face da proliferação das faculdades de Direito no país: hoje há mais de mil faculdades de Direito.”

Finalizando o encontro, D’Urso disse que, ao contrário do que alguns pensam, há muito mercado de trabalho no Brasil, “todavia para quem estuda”.

O presidente esclareceu que a legislação permite que advogados estrangeiros trabalhem no Brasil, mas com a limitação de atuarem no Direito do seu país de origem como consultores estrangeiros. Ao final da cerimônia,  os alunos receberam nominalmente um certificado e um kit da OAB SP.

Tags: