Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2010 / 08 / 18 / SECCIONAL RECLAMA ATRASO NO PAGAMENTO DE HONORÁRIOS DE AGOSTO NO CONVÊNIO DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA

Notícias

SECCIONAL RECLAMA ATRASO NO PAGAMENTO DE HONORÁRIOS DE AGOSTO NO CONVÊNIO DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA

Tweet


18/08/2010

O presidente da Comissão de Assistência Judiciária da OAB SP, Mauricio Januzzi Santos, oficiou à Defensoria Pública do Estado de São Paulo sobre atraso no pagamento de agosto dos honorários dos advogados inscritos no Convênio de Assistência Judiciária, firmando entre a Ordem e a Defensoria.

 

A Coordenadoria de Tecnologia da Informação da Defensoria Pública informou que o sistema de pagamento é complexo e envolve diversas entidades – Prodesp, que gera o programa de pagamento  e gerencia,  sendo  alimentado pelas certidões judiciais . Ao final de cada mês é gerado um arquivo para pagamento enviado ao Sistema da Fazenda do Estado de São Paulo para processamento e encaminhamento ao Banco do Brasil para crédito na conta dos favorecidos.

  

 Para tentar apurar  por que 4.099 advogados não receberam seus pagamentos foi realizada reunião  entre a Defensoria, assessoria do convênio, departamento de Orçamento e Finanças e Prodesp, responsável pelo Sistema de Pagamento dos Advogados (SPA). Constatou-se que o SPA enviou contas correntes sem zeros a esquerda, além de não processar os dados dos advogados com restrição no Cadin, que deveriam ter sido pagos.

 

Ainda de acordo com a Coordenadoria, após o reprocessamento , 1752 advogados receberam os honorários. Mas ainda assim, o Sistema da Fazenda do Estado de São Paulo (Siafem) recusava o pagamento de cerca de 2000 advogados . Em outra reunião,  apurou-e que a recusa do pagamento devia-se , entre outros motivos, à migração das contas da Nossa Caixa para o Banco do Brasil no Siafem (Sistema da Fazenda ).

 

A Coordenadoria de TI  assegurou à  Comissão da OAB SP  que todas as providências estão sendo tomadas para regularizar os pagamentos de agosto e assegurar   que os próximos  créditos “transcorram sem maiores problemas.”

 

 Veja a íntegra da resposta da Defensoria - clique aqui.