PALESTRA FAZ INTRODUÇÃO À LEITURA DOS LUSÍADAS


28/10/2010

A OAB SP realiza no dia 2 de dezembro, às 10 horas, no Salão Nobre da Ordem (Praça da Sé, 385 – 1º andar) a palestra “Uma Introdução à Leitura de os Lusíadas de Camões – O Texto Clássico e a Argumentação Jurídica”, com a exposição de Jorge Miguel, professor de Direito Penal e Língua Portuguesa. Jorge Miguel também soma em seu currículo o trabalho como Procurador de Autarquia no Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo – Secretaria de Esportes, diretor acadêmico do Departamento de Processo Seletivo e Coordenador de Língua Portuguesa da FAAP e autor de obras jurídicas.

A proposta da palestra é fazer uma ponte entre o universo dos textos literários e o trabalho feito cotidianamente pelos profissionais do direito quando estão redigindo os mais diferentes textos, desde uma petição inicial até uma ação direta de inconstitucionalidade, por exemplo. Destacando os textos que serão usados como “algo que não se vê em qualquer lugar”, o professor Jorge Miguel vai revelar o poder de argumentação dos textos de Camões, especialmente em “Os Lusiadas”, e ainda dos textos de Padre Antônio Vieira, “Imperador da Língua Portuguesa”*.

Na primeira parte da palestra será apresentado o poder de convencimento destes dois escritores, momento em que o professor Jorge Miguel irá revelar uma “maneira especial de argumentar”, que para o palestrante aos autores a possibilidade de “provar o que queriam com uma construção de texto usando a argumentação clássica”. Além disso, critérios de objetividade e escolha apropriada de palavras também serão focados, especialmente na leitura das três primeiras estrofes de “Os Lusíadas” de Camões. “Vou trabalhar a grandiosidade do poema, em apenas 24 linhas Camões fala da viagem e da história de Portugal, de heróis e de deuses, o poeta ainda faz suas próprias considerações antes de citar o passado e o futuro de Portugal”, afirmou Jorge Miguel acrescentando que o bom uso da concisão é importante para os profissionais do direito, especialmente em exposições orais, como audiências de instrução processual e até tribunais do Júri.

Na segunda parte da palestra a tarefa será extrair argumentações jurídicas dos escritos de Camões e Padre Antônio Vieira, mostrando que textos rotineiramente elaborados por advogados podem seguir a estrutura ali encontrada; “uma petição inicial ou contestação pode ser feita neste modelo” enfatiza o palestrante. Serão apresentados quatro trechos para uma análise em que o professor Jorge Miguel afirma haver “conteúdo de arrebatadora beleza e poder de convencimento”. A palestra “Uma Introdução à Leitura de os Lusíadas de Camões – O Texto Clássico e a Argumentação Jurídica”, tem o apoio do Departamento de Cultura e Eventos da OAB SP, dirigida por Umberto Luiz Borges D´Urso.

* Nascido em Lisboa 1608, Padre Antônio Vieira veio para o Brasil aos seis anos de idade, onde estudou e missionou; escreveu cerca de 200 sermões e mais de 500 cartas, e destacou-se não somente como literato, mas também no campo da política e economia. Foi defensor do direito dos “cristãos-novos” (judeus que eram obrigados a adotar a religião católica para fugir da inquisição) de permanecer em terras portuguesas e também condenava a escravização indígena.