PRESIDENTE DA OAB SP DIVULGA NOTA E PEDE UM MINUTO DE SILÊNCIO PELAS CRIANÇAS VITIMADAS NO RIO DE JANEIRO


08/04/2011

Durante a cerimônia de instalação e posse da Subsecção de Nossa Senhora do Ó, nesta quinta-feira (7/4), o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’ Urso, pediu um minuto de silêncio em solidariedade às famílias que perderam seus filhos, vítimas de um massacre ocorrido dentro de uma escola pública No Rio de Janeiro e como símbolo de reação contra a violência e pela paz.” Tivemos uma das maiores demonstrações de brutalidade, de violência que já aconteceu no Brasil e que outros países já assistiram.Não podemos ficar anestesiados e não sentir a gravidade desse episódio . Temos de repudiar veementemente essa manifestação de violência, principalmente nós (advogados) de formação humanística”, afirmou D’Urso.

 Em Nota Oficial, o presidente da OAB SP  ressaltou que  “Depois desse episódio de violência desmedida e injustificada, podemos afirmar que os  jovens brasileiros  ingressaram no território do ódio ,  da violência banalizada, da  popularização do terror, da inversão de valores”. Também afirmou que é importante que a sociedade brasileira entenda a tragédia e tome medidas  para continuar construindo um futuro de paz.

 

 

                                        NOTA OFICIAL

 

O  Brasil está enlutado pelo massacre de nossas crianças  em uma escola  pública do bairro de Realengo, no Rio de Janeiro.  Repudiamos veementemente esse ato bárbaro e covarde e nos solidarizamos com os pais e parentes das crianças assassinadas e feridas neste momento de profunda dor.

Depois desse episódio de violência desmedida e injustificada, podemos afirmar que os  jovens brasileiros ingressaram no território do ódio ,  da violência banalizada, da  popularização do terror, da inversão de valores.

Reeditamos uma das  tragédias mais tristes da história contemporânea: o massacre de Columbine, nos Estados Unidos, também ocorrido no mês de abril ,de 1999,  onde 12 estudantes e um professor  morreram dentro da escola, assassinados  por dois colegas fortemente armados.

O assassinato de crianças  e jovens  está entre os atos mais desprezíveis  que o ser humano pode cometer , porque as vítimas  estão  totalmente indefesas, além de  simbolizarem o futuro de nossa civilização. Essa tragédia  no Rio constitui, portanto, um ato de negação de todos os nossos valores, especialmente os humanistas.

Neste episódio, que comoveu o país e a comunidade internacional,  prenuncia que estamos deixando  para trás a identidade de povo cordial , apontado pelo historiador Sérgio Buarque de Holanda, de um povo que é  movido pelo coração, generoso, onde os laços familiares  e sentimentais são essenciais.

 Assim sendo, a população brasileira precisa estar atenta para buscar entender  porque uma escola pública tornou-se perigosa para as crianças brasileiras. Essa matança precisa ser explicada para que possamos seguir em frente, construindo nosso futuro de paz.

Certamente, muitas conjecturas serão levantadas sobre as motivações que levaram o assassino a esse ataque covarde e desmedido, mas nada  justificará  ou consolará os pais que perderem seus filhos nesse ato de violência  desmedida.

Urge que  todos os segmentos da sociedade brasileira avaliem  essa tragédia que,  embora seja um ato individual, terá repercussões sobre a vida de todos os brasileiros. A dor terá de abrir espaço para a reflexão e a busca de medidas capazes de alterar e corrigir a rota que a violência está tomando em nosso país.

A OAB SP está de luto.

                           

São Paulo, 7 de abril de 2011

 

                   Luiz Flávio Borges D´Urso

                   Presidente da OAB SP