ADVOGADO LANÇA ANTOLOGIA SOBRE INTELECTUAIS FRANCESES CONTEMPORÂNEOS


25/04/2011

Dados biográficos, principais obras publicadas e sinopse das principais idéias de oito intelectuais franceses contemporâneos já estão ao alcance dos leitores brasileiros na obra recém lançada pelo advogado especialista em leis antitruste e consultor jurídico , Jayme Vita Roso “ Carrefour para Intelectuais Franceses Contemporâneos” (Edições Bagaço, 2011), que o autor define como antologia, por reunir uma coleção de trechos da importante produção deles. Todos os autores retratados tem em comum o fato de serem judeus e de famílias humildes que imigraram para França.

A atualidade do livro não está somente na reunião do pensamento de intelectuais contemporâneos franceses com formações diversas – físico, médico, jornalista, político, romancista, historiadores, economistas - mas também pelas  referências  que podem ser buscadas em sites, nos quais temos mais detalhes sobre uma citação ou pesquisa do autor, complementando o texto impresso.

De todos os  autores analisados, Edgar Morin é  certamente o mais conhecido do público brasileiro, até porque esteve inúmeras vezes no Brasil, ministrando palestras e cursos. É um pensador original e plural que construiu um novo modelo para abordar o conhecimento humano.  Vita Roso define Morin como sendo  um reformador do pensamento, que buscou formar gente capaz de aceitar desafios, afrontar  incertezas, vencer obstáculos  e ir além das contradições.

 Outro autor bem conhecido dos brasileiros é Boris Cyrulnik, o “Psiquiatra da Esperança” pelos  trabalhos  que desenvolveu sobre o conceito da resiliência, processo para superar os traumatismos psíquicos e as mais graves feridas emocionais ,  por meio de faculdades adquiridas na infância e  com  apoio recebido depois da experiência traumatizante. Ele próprio (Cyrulnik)  foi um sobrevivente ao fugir de um campo de concentração aos 6 anos de idade, e ter perambulado por centros de acolhimento e ser recebido famílias que o adotaram.

Também fazem parte desse Carrefour (confronto de idéias) Claude Lanzmann, filósofo, cineasta e escritor, que  fez um filme histórico de mais de nove horas de duração sobre o Holocausto, chamado “Shoah”; Georges Charpk, que recebeu em 1992 o prêmio Nobel em Física e defende a mudança dos paradigmas educacionais; Alain Minc, conselheiro do presidente francês Nicolas Sarkozy, que escreveu  “ Máquina Igualitária” , no qual analisa os procedimentos, mecanismos e instituições que operam há 50 anos para reduzir as desigualdades sociais além de dezenas de outras obras; Marc Levy, o mais midiático dos autores, que iniciou sua carreira literária com um sucesso que vendeu 2 milhões de cópias (Et si c´était vrai?) transformado em filme por Spielberg; Bernard-Henri Levy, conhecido como BHL,  dono de uma  produção literária de fôlego, com destaque para o livro “ A Crueldade com Face Humana”, onde denuncia o fascismo e o comunismo histórico.

E, finalmente, Jacques Attali,   incumbido de dirigir uma comissão de notáveis indicados pelo presidente francês Nicolas Sarkozy, e  encarregada de estudar os obstáculos ao crescimento econômico. Produziu vasta obra,  envolvendo questões econômicas e filosóficas. Sobre “ Caminhos da Sabedoria – Tratado do Labirinto” , Vita Roso cita a explicação definitiva da contracapa: “ Jacques Atalli põe à disposição novas sabedorias e saberes esquecidos, necessários para sobreviver num mundo onde tudo se tornou labirinto. E onde se perder é a única maneira de se encontrar”.