ORDEM ABRE EXPOSIÇÃO E LANÇARÁ LIVRO SOBRE CAMPANHAS INSTITUCIONAIS


23/05/2011

Depois de abrir a exposição “ Direitos Humanos em Cartaz”, que reúne cartazes de campanhas institucionais lançadas pela OAB SP, na sede da Aliança Francesa, no último dia 17 de maio, às 20 horas, o presidente da Ordem, Luiz Flávio Borges D’Urso, comunicou publicamente que a história das campanhas será reunida em um livro.

 “Nós iremos lançar um livro com todos os cartazes das campanhas da OAB SP, criadas pelo publicitário  Agnelo Pacheco. O livro terá também a história das campanhas (de 2004 a 2010), como surgiram  as ideias, como foram nossos debates e o processo de criação do Agnelo . Vamos editar para perpetuar algo  que deve ser seguido por muitos, porque os direitos humanos não tem fronteira”, contou  D´Urso.

O  diretor-geral da Aliança Francesa de São Paulo, Maurice Nahory comentou que o  Barreau de Paris  não promove esse tipo de campanha voltada à cidadania e que levaria a idéia. Nahory  lembrou que o contexto da exposição está  contido na Declaração Universal dos Direitos do Homem e citou os artigos 1º, 22º e 26º , que apontam que “Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos”, Toda pessoa tem direito a seguridade social” e“Todo o homem tem direito a instrução.”

O publicitário Agnelo Pacheco  afirmou que todo publicitário tem a obrigação de fazer algo pelo social. “A publicidade desperta paixões e desejos em quem não tem poder aquisitivo para comprar aqueles produtos anunciados. Assim, essa violência que assistimos hoje é o desejo que a pessoa tem de possuir aquele bem, mas  não pode adquirir. Por isso,  o publicitário tem esse dever social. Esse trabalho  realizado com a OAB SP e com o presidente D´Urso acabou resultando em um casamento perfeito. Uma harmonia muito grande”, explicou.

 

O  presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB SP, Martim de Almeida Sampaio, por sua vez, destacou a importância dos tratados, declarações e constituições que garantem aos homens o respeito à cidadania e à dignidade. “Após os horrores da 2ª Guerra Mundial, conquistamos a Declaração Universal dos Direitos do Homem. Mas mesmo com ela, os direitos humanos  são violados e somente a população socialmente organizada pode se opor a isso.”, resumiu.

Para o conselheiro e presidente da Comissão de Relações Internacionais da OAB SP, George Niaradi, a exposição não poderia ficar melhor sediada do que  em uma entidade cultural  francesa, uma vez que a França é considerada o berço dos direitos humanos.

 

Para o desembargador Marco Antônio Marque das Silva,  representando o TJ-SP, a Aliança Francesa, a OAB SP e o publicitário Agnelo Pacheco formam um triunvirato, são a base de pirâmide para sustentar os direitos fundamentais. “A característica dos direitos fundamentais é sua universalidade. Seja quando começou com João Sem Terra, na Inglaterra em 1215 ou em 1789, na França, seja na nossa Declaração Universal dos Direitos do Homem, de 10 de dezembro de 1948, quando depois da 2ª Guerra o mundo percebeu que precisava efetivamente de uma visão maior de humanidade, de humanismo”, comentou o desembargador.

A exposição ficará aberta ao público até 18 de junho, na sede da Aliança  Francesa (Alameda Ministro Rocha Azevedo, 419, Jardins) , e reúne 14  cartazes das campanhas promovidas pela Ordem com temática ligada aos direitos humanos.