AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATE REFORMA POLÍTICA E PARTICIPAÇÃO DA MULHER


25/05/2011

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, e a presidente da Comissão da Mulher Advogada, Fabíola Marques, participam no próximo dia 6 de junho, às 9 horas, na Fiesp, de audiência pública do Senado Federal, que tratará da reforma política e a participação das mulheres na política partidária e em cargos eletivos.

Marta Suplicy (PT-SP), representando a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, presidirá os trabalhos, que contará com representantes da sociedade civil. A audiência é o desdobramento de encontro de mulheres paulistas com o presidente do Senado, José Sarney, que contou com representantes do Parlamento, da  Ordem e Fiesp, resultando na proposta de realização de encontros públicos conjuntos nas cinco regiões do País. As sugestões  apresentadas nessa audiência serão encaminhadas na forma de ata à Comissão da Reforma, em Brasília.

“A participação  e contribuição da mulher é fundamental na vida política brasileira. Hoje as mulheres são a maioria da população e já conquistaram espaços que antes eram tidos como masculinos. Temos uma mulher na presidência, mas a presença feminina no Legislativo ainda é pequena. A  participação feminina na Câmara dos Deputados é de 9% , quando  na  Argentina  chega a 40%. Assim, como a reforma política deve ocorrer até outubro é a oportunidade para mudanças “, ressalta D´Urso. 

“A participação  e contribuição da mulher é fundamental na vida política brasileira. Hoje as mulheres são a maioria da população e já conquistaram espaços que antes eram tidos como masculinos. Temos uma mulher na presidência, mas a presença feminina no Legislativo ainda é pequena. A  participação feminina na Câmara dos Deputados é de 9% , quando  na  Argentina  chega a 40%. Assim, como a reforma política deve ocorrer até outubro é a oportunidade para mudanças “, ressalta D´Urso. 

“A participação  e contribuição da mulher é fundamental na vida política brasileira. Hoje as mulheres são a maioria da população e já conquistaram espaços que antes eram tidos como masculinos. Temos uma mulher na presidência, mas a presença feminina no Legislativo ainda é pequena. A  participação feminina na Câmara dos Deputados é de 9% , quando  na  Argentina  chega a 40%. Assim, como a reforma política deve ocorrer até outubro é a oportunidade para mudanças “, ressalta D´Urso. 

Para Fabiola Marques, o importante é debate a questão da participação no cargos eletivos“Nosso objetivo é discutir com a sociedade civil a questão e desfazer o mito de que as mulheres não se interessam pela vida político-partidária do país. A vontade existe, mas as condições na participação devem ter equidade para que haja o aprimoramento de nossas instituições com garantias de representação legítima de toda a diversidade de nossa sociedade”, afirmou Fabíola.

A audiência pública foi aprovada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal e será conduzida pela senadora Marta Suplicy. Participarão da audiência o presidente do Senado, José Sarney, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf e o presidente da Comissão de Estudos Eleitorais e Valorização do Voto da OAB SP, Luiz Silvio Moreira Salata, além de representantes do Senado, da Câmara, da Assembleias Legislativas dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo.