ORDEM REPUDIA CONDENAÇÃO À MORTE DE PASTOR IRANIANO


06/03/2012

A Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB SP endossa a ação do Conselho Federal da Ordem que oficiou o Ministério das Relações Exteriores e a Embaixada do Irã no Brasil para que tomem providências quanto à prisão e à condenação à morte do pastor evangélico iraniano Youcef Narkhani. Foram também oficiados a Union International des Avocats e a International Bar Association, para que acompanhem o caso.

 

“Solicitamos ao Conselho Federal que tomasse providências quanto ao caso do iraniano e rapidamente obtivemos a resposta. Devemos todos lutar contra esse tipo de perseguição religiosa. Atitudes como essa não podem acontecer. As pessoas devem ser livres para decidir qual religião seguir”, explicou a presidente da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa, Damaris Dias Moura Duo.

 

Narkhani é pastor desde 2001 e fundador de uma comunidade chamada Igreja do Irã. Ele foi preso em 2009, depois que decidiu que seus filhos, Joel e Daniel, não assistiriam às aulas de islamismo, obrigatória nas escolas da província de Gilan, onde mora, e retirou os garotos da escola. O pastor foi preso no mesmo dia.

 

Condenado a morte por apostasia, ou seja, o afastamento deliberado das doutrinas e crenças, o pastor pode ser executado em segredo e a qualquer momento e a única forma de livrar-se da acusação é voltar à fé islâmica.