TJ-SP ABRE EXPOSIÇÃO SOBRE O JUDICIÁRIO E A REVOLUÇÃO DE 32


03/10/2012

Uma matraca de madeira em tamanho natural, capacete, cantil, granada e munições originais estão em exposição na mostra “O Poder Judiciário Paulista e o Movimento Constitucionalista de 1932 – 80 anos Depois”, inaugurada na última terça feira (02/10) às 16 horas, no átrio do prédio do prédio ocupado pelos gabinetes dos desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo (Av. Ipiranga 164).

 

 

O presidente em exercício da OAB SP Marcos da Costa participou da cerimônia de abertura da exposição e destacou a importância de se manter viva a memória da Revolução de 32, que durante o Estado Novo buscou resgatar o Estado de Direito no país: “Assim como o Tribunal de Justiça, a OAB SP guarda fortes laços com a Revolução Constitucionalista de 32, pois a Seccional paulista também foi fundada neste ano e teve como primeiro presidente o advogado e jornalista Plínio Barreto, uma das mais fortes lideranças do Movimento Constitucionalista. Segundo ata histórica, a reunião do Conselho Seccional da OAB SP naquele ano não pode ser realizada porque muitos dirigentes da Ordem foram detidos pelo governo ditatorial” disse Marcos da Costa.

 

Ao inaugurar a exposição, que ficará aberta até 30 de outubro, o presidente do TJ-SP, desembargador Ivan Sartori, ressaltou a edição de uma lei que tornou os grandes nomes-símbolos da Revolução de 32 – Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo (MMDC) – heróis nacionais. "São Paulo mostrou sua fibra, seu civismo, seu amor à pátria. Nós, do Tribunal de Justiça de São Paulo, temos obrigação de reverenciar esses heróis e a Revolução Constitucionalista de 1932, que se tornou um marco não somente para São Paulo, mas para o Brasil”, disse.

 

A exposição - organizada pelo Museu do Tribunal de Justiça de São Paulo e pela Diretoria de Relações Institucionais (DRI) - reúne uma série de painéis que explicam o papel do Tribunal e a Revolução, a figura da mulher, o obelisco do Ibirapuera, o tribuno da revolução-Ibrahim de Almeida Nobre, entre outras temáticas.  Durante a solenidade, o poeta Paulo Bonfim, leu um poema de sua autoria – “Os Jovens de 32”: “Onde estais com vossos ponchos/Os fuzis sem munição/Os capacetes de aço/Os trilhos do trem blindado/ O lema de vossas vidas/ A saga de vossos passos/Ó jovens de 32!”.