CONSELHO FEDERAL CONFIRMA POSIÇÃO DA OABSP SOBRE ESCRITÓRIOS ESTRANGEIROS
O veto à atuação de escritórios de advocacia estrangeiros no Brasil foi reafirmado pelo Conselho Federal da OAB, na última segunda-feira (22/10), em votação unânime. A decisão confirma posição da OAB SP, adotada em responde a uma consulta formulada pelo Centro de Estudos das Sociedades de Advogados (Cesa).
OAB SP REFORÇA PROPOSTA PARA AMPLIAR SEGURO DE VIDA DE POLICIAIS
A onda de violência que já provocou neste ano, no Estado de São Paulo, a morte de mais de 80 policiais militares, além de ataques a outros agentes públicos de segurança como policiais civis, agentes penitenciários e guardas civis, tem mobilizado a Comissão de Segurança Pública (CSP) da OAB SP, que vem analisando a ação do crime organizado e criando propostas de combate à violência.
SANTOS RECEBE ÚLTIMO ENCONTRO REGIONAL DA ATUAL GESTÃO
Para o presidente em exercício da OAB SP, Marcos da Costa, o 19º Encontro Regional de Santos e Região, último da atual gestão, realizado no último sábado (21/10), no hotel Mendes Plaza, de Santos, encerrou com chave de ouro o modelo de participação transparente em todo o Estado mantido pela atual administração da Ordem e que vem assegurando seu sucesso.
PRESIDENTE DA OAB SP VISITA O VALE DO PARAÍBA E PARTICIPA DE CONGRESSO TRABALHISTA
O presidente em exercício da OAB SP, Marcos da Costa, visitou na última quinta-feira (18/10) cinco cidades do Vale do Paraíba, onde participou de palestras, solenidade de entrega de carteiras da Ordem, entrega de Certificação ISO-9001 e da abertura do 31º Congresso Estadual dos Advogados Trabalhistas, em Campos do Jordão.
MARCOS DA COSTA REPUDIA DECLARAÇÕES QUE DEPÕEM CONTRA A IMAGEM DOS ADVOGADOS
O presidente em exercício da OAB SP, Marcos da Costa, divulgou nesta quinta-feira (25/10) Nota Pública repudiando as declarações feitas pelo historiador Marco Antônio Villa, à TV Cultura. Villa afirmou: “No Brasil sempre tivemos a ideia de que quem está no poder pode fazer o que quiser. Pode roubar que ele contrata um advogado caro e ele está livre. Esse advogado é aquele que tem boas relações no tribunal que o político vai ser julgado e ele acaba livrando aquele político. E fica elas por elas. Ou você tem um banco, frauda, faz gestão fraudulenta, contrata também um bom advogado e está livre. (...) Nós temos de colocar de novo como pilares da república a ética e a moralidade e acabar com essa história de contratar um advogado que é sócio indireto do corrupto porque ele recebe honorários fabulosos de dinheiro desviado público”.