OAB SP CRITICA PARALISAÇÃO DE JUÍZES FEDERAIS E TRABALHISTAS


07/11/2012

A ameaça de paralisação dos juízes federais e trabalhistas, marcada para quarta e quinta-feira (7 e 8/11) como protesto para pedir reajuste salarial de 28,86% sobre a remuneração inicial hoje de R$ 21,8 mil, foi criticada pela OAB SP, para quem os magistrados têm direito de reivindicar melhorias na carreira, mas sem prejudicar a prestação jurisdicional.

A interrupção das atividades prejudicará as vidas de milhares de cidadãos com ações nas Justiças federal e trabalhista e de seus advogados com audiências agendadas, provocando atrasos e agravando o acúmulos de processos e a morosidade da Justiça, que impede o jurisdicionado de chegar a uma solução para o conflito que trouxe ao Judiciário.<br /><br />Organizada pela Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) e pela Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), a ação pede ainda um adicional de função quando o magistrado assume atividades administrativas e outros cargos extras e um adicional por tempo de serviço – os juízes ressaltam a diferença de 5% (R$ 800) entre as remunerações final e inicial na magistratura da União.<br /><br />A paralisação também servirá como boicote à Semana Nacional de Conciliação, organizada pelo Conselho Nacional de Justiça de 7 a 14 de novembro para tentar dar vazão à enorme quantidade de processos acumulados em todas as áreas da Justiça.