Advocacia em São Paulo é cada vez mais feminina e cada vez mais jovem


14/11/2014

Os dados já apontam que as mulheres são maioria entre os inscritos na OAB SP. Do mesmo modo que é crescente a participação dos jovens advogados, que somam mais de 50 mil em São Paulo, no dia a dia da instituição, onde a presença deles vem sendo incentivada na rotina das Comissões da OAB SP e nos debates desenvolvidos pela casa.

Antes de o painel dedicado à Mulher Advogada e ao Jovem Advogado ter início, durante o XXXVI Colégio de Presidentes em Atibaia (07/11), Marcos da Costa, Presidente da OAB SP, foi convidado a falar por conta de seu comprometimento com ações específicas para esses segmentos dentro da Ordem. “Temos que fazer com que, cada vez mais, as mulheres estejam presentes na nossa instituição, quer participando dos nossos eventos, quer participando da nossa eleição”, pontuou. “E, por outro lado, sabemos da importância de ter os jovens advogados aqui, porque eles são o combustível para a renovação da Ordem”.
Pela primeira vez, o evento que reúne os presidentes das Subseções da OAB SP reservou uma mesa exclusiva para dar voz à presença feminina e aos jovens que frequentam à instituição exporem suas conquistas e apresentarem suas dificuldades. Marisa Aparecida Migli, Presidente da Subseção de Jacareí, que presidiu essa mesa, sobre “Os avanços da OAB na participação política da Mulher e do Jovem”, fez questão de ressaltar que as mulheres não precisam de cota para conquistar espaço na atual sociedade, mas, sim, de atingir seu lugar naturalmente.

Kátia Boulos, Presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP, se apoiou em números para enfatizar que, embora os avanços sejam visíveis, há ainda um longo caminho a ser traçado. “As lideranças femininas existem e precisam se consolidar na participação efetiva”, destacou ela. Para tanto, lembrou que estão a todo vapor a realização de fóruns, assim como cursos que visem a inclusão das mulheres, assim como a ampliação do mercado de trabalho e a difusão e produção de conhecimento para tornar a atuação da mulher ainda mais consistente. Mas, sobre como atingir as metas de realização profissional, Dr. Kátia foi incisiva: “Que isso se paute pelo mérito!”.

Falando pelos jovens, Everton Simom Zadikian, Presidente da Comissão do Jovem Advogado, e Antonio Ricardo Miranda Jr, Presidente da Subseção do Jabaquara, destacaram que, na primeira sessão da atual gestão, o Conselho Secional aprovou a supressão do seu regimento interno, da obrigatoriedade do advogado ter no mínimo 5 anos de inscrição para participar de Comissões, regra que não vinha sendo utilizada, mas que, ao ser excluída de forma definitiva, estimulou os jovens advogados a participarem efetivamente das Comissões da OAB, houve um grande empenho e envolvimento desses profissionais com a defesa das prerrogativas da atividade. Ambos fizeram questão de frisar que os jovens precisam do apoio dos mais velhos para avançar e desenvolver seus potenciais. Mas também lembraram que os mais velhos precisam dos mais novos para poderem produzir as transformações necessárias no sentido da renovação que move o mundo.

O painel sobre mulheres e jovens teve na mesa de trabalho, além dos já citados, a presença do Vice-Presidência de Pedro Ivo Iokoi, da Subseção de Pinheiros; e dos secretários: Adriana Maria de Fávari Viel, de Vinhedo; Antonio Marques Filho, de Americana; Luiz Guilherme Paiva Vianna, de Taubaté; e Thiago Penha de Carvalho Ferreira, de Ubatuba; além dos representantes das OAB SP: Diretora da Mulher Advogada, Tallulah Kobayashi de Andrade Carvalho; Diretora das Sociedades de Advogados, Clemência Beatriz Wolthers; e dos representantes da CAASP: Gisela Fleury Charmillot de Lemos, Diretora; e Rossano Rossi, Diretor.