OAB SP decreta luto oficial pela morte de Márcio Thomaz Bastos


20/11/2014

O Presidente da OAB SP, Marcos da Costa, lamentou profundamente a morte de Márcio Thomaz Bastos, nesta quinta-feira (20/11), no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo: “A Advocacia brasileira perde um de seus ícones, um dos mais importantes e produtivos advogados criminalistas de sua geração, que patrocinou grandes causas e foi um tribuno de escol. Também foi um democrata na acepção máxima da palavra, tendo tido uma vigorosa atuação na Assembleia Nacional Constituinte, na OAB e ao longo de sua vida pública, sempre buscando assegurar as garantias do direito de defesa, raiz de todos os demais direitos do cidadão”. O Presidente Marcos da Costa decretou luto oficial de três dias na Secional e Subseções da OAB SP. o velório será na Assembleia Legislativa, a partir das 15h e o corpo será cremado na sexta-feira (21/11), em cerimônia fechada para a família.

Marcio Thomaz Bastos foi Presidente da Secional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB SP), entre 1983 e 1985 e do Conselho Federal da OAB, entre 1987 e1988.

Natural de Cruzeiro (Vale do Paraíba), nasceu em 30 de julho de 1935 e graduou-se em Direito pela Universidade de São Paulo, turma de 1958. Seu primeiro emprego foi no escritório do pai, em Cruzeiro, e fez seu primeiro júri, em 1957, como solicitador acadêmico (estagiário), onde ganharia notoriedade. Especializou-se em Direito criminal, tendo atuado em mais de 600 julgamentos, muitos dos quais fez a defesa sem cobrar honorários.

Teve intensa vida política. Foi Ministro da Justiça do Governo Lula, entre 2003 e 2007. Seu primeiro cargo na carreira política foi de vereador pelo Partido Social Progressista (PSP), em Cruzeiro, entre 1964 e 1969. Em 1966, pede licença à Câmara de Vereadores para servir na Secretaria do Interior, no governo de Laudo Natel. Na década de 1970, fixa-se na cidade de São Paulo e abre seu escritório, marcando sua atuação no Tribunal de Júri, onde se consagrou profissionalmente.